quinta-feira, 20 de dezembro de 2012

FELIZ NATAAAL!!!


E etc.

Pra quem entra no espírito da coisa, divirtam-se!

Pra quem não entra no espírito da coisa, desejo o mesmo que peço pra mim: -Tomara que eu entre no espírito da coisa...!

No mais, estaremos de volta em janeiro ou a qualquer momento em edição extraordinária.

domingo, 16 de dezembro de 2012

REDES SOCIAIS

Antes havia o e-mail.
Depois o Orkut. Depois o Facebook, Twitter, LinkedIn e sabe-se lá mais o quê.

Costumo olhar o "fêici", acho o "tuíter" um saco, recebo atualizações do "linquedín" e mais nada.

Mas, é o suficiente para sentar no troninho e arquitetar uma teoria cuja origem é fundamentada no pensamento da minha distante amiga Elaine Wermelinger. Ela afirma que aquelas pessoas que enviam centenas de e-mails de gosto duvidoso estão, simplesmente, querendo se fazer presentes na nossa vida.

Foda-se o conteúdo. Importante é você saber que “Eu estou na área, entende?”.

Contemplando o “fêici”, fico a me perguntar o que leva as pessoas a perpetrarem fotos de pratos de comida, frases no estilo “Vou dormir”, “Acabei de tomar banho”, “Que calor!” e outras impressionâncias.

Segue a teoria: já ouvi profundas análises de muita gente (que sempre se coloca como à parte dessas atividades, é claro) afirmando, com surpreendente conhecimento de causa, que existem diversos perfis nas redes sociais. Existe o “observador”, existe o “atuante”, existe o “exibicionista” e muuitos mais.

Pra mim, só existe um perfil: o que mostra o que ele NÃO é, mas, acha que é assim que todo mundo gostaria que ele fosse.
(Boa essa, hein? Cinco "ques" em uma frase só!)

Aí, tome de amor, indignação, compartilhamentos, etc, etc.
As indignações, quando a gente conhece o indignado, são, no mínimo, assustadoras.
Peralá! Como esse cidadão está indignado com isso se, ontem no boteco, ele defendia o contrário???
Certamente deve ser por isso que as iniciativas geradas por tantas indignações não chegam a lugar nenhum...

Então, pra finalizar, minha opinião é que as redes sociais são o retrato da sociedade dos dias de hoje. Ou seja, cada vez mais as pessoas se escondem, se disfarçam, assumem personalidades “sociais” e se transformam em seres desprovidos de raciocínio individual e capacidade de trocar ideias.

Em quê isso vai dar?

(Cartas para a redação.)

sábado, 15 de dezembro de 2012

AUTOAJUDA


(E lá se foi o hífen...)


Segue uma frase pinçada do inebriante livro da HAMUSA Editora: “Ninguém Mexe Na Minha Gaveta” – cujo, prestes a ser lançado, possibilitará ao conhecimento de todos, o direcionamento definitivo sobre como ser feliz.

A vida é feita de bons e maus momentos.

O importante é que os bons momentos sejam maravilhosamente indescritíveis.

E que os maus momentos sejam, somente, uma bobagem passageira.

(Na compra de um exemplar, o consumidor será presenteado
com um saquinho de vômito da griffe “Lady Lydia Leith”.)

sexta-feira, 14 de dezembro de 2012

CARTÃO DE NATAL

Sempre pensando no bem estar dos milhares e milhares de leitores desse blog, “Haja Productions, proudly presents...”
O Cartão de Natal politicamente incorreto para quem não aguenta mais essas mensagens ridículas e falsas que pululam por aí.

Façam bom proveito!

quinta-feira, 13 de dezembro de 2012

TEM GENTE QUE PARECE...

... Que sei lá!

Zapeando na madrugada, dou de cara com o 121212.
Uma picaretagem destinada a arrecadar grana para os salvados do(a) Sandy.
Todos os bons velhinhos no palco e na plateia.

Aí, me aparece o Pete Towshend - com a categoria que Deus lhe deu - acompanhado do Roger Daltrey.
Putz! Baixinho, atarracado e sem pescoço, o cidadão passaria por um digno representante do nosso nordeste se não fosse seu apurado mau gosto na vestimenta.

Deu vergonha alheia e, quando anunciaram a próxima atração
- Billy Joel com aparentes 115 anos e seguidor fashion do Daltrey,
fui abençoado com o sono reparador.

terça-feira, 11 de dezembro de 2012

RETRATO DO BRASIL (MAIS UM)

Sei não... Me parece meio fake.
Mas, real ou não, seria cômico se não fosse trágico.
Pra variar.


segunda-feira, 10 de dezembro de 2012

Ô CHATURA!

Folha de S. Paulo - 10/12/2012 - 21h33 
Aeronautas e aeroviários ameaçam entrar em greve na quinta-feira.
Os aeroviários e aeronautas ameaçam fazer uma greve de advertência na próxima quinta-feira (13), informaram representantes das duas categorias.

Todo ano é a mesma coisa: chegando o Natal, ameaças de greve dos aeroviários e afins.
E, daqui a um mês, vamos de chuvas na região serrana do Rio onde, pra variar, foram - e serão - destinadas verbinhas (se comparadas às destinadas aos estádios da copa que vai fazer o Brasil-sil-sil ocupar um lugar de destaque no planeta). Verbinhas estas que, até agora, nada geraram e a maioria foi - e vai ser roubada.
Ou "desviada" ou "malfeita". Como sempre.

E hoje tivemos mais um capítulo da Ação Penal 470 onde os eminentíssimos se derramaram em looongos votos a favor e contra a imediata cassação dos mandatos dos parlamentares condenados.

Pra mim ficou claro seguinte: a polêmica sobre o fato do STF determinar a cassação automática dos condenados em contrapartida ao direito do Congresso resolver entre seus pares é a prova final da falta de confiança nos políticos. Cujos, há muitos e muitos anos só fazem provar que os “representantes do povo” nada mais são do que descarados aproveitadores da ignorância eleitoral desse povinho bunda.

quinta-feira, 6 de dezembro de 2012

OSCAR NIEMEYER - GÊNIO ABSOLUTO


Resistindo desde 2002 no Top Ten do Deathlist - mórbido site inglês que aposta nas mortes anuais de celebridades - lá se foi nossa maior expressão internacional depois do Pelé.

Lembrando Tom Jobim, que dizia que “No Brasil, fazer sucesso é ofensa pessoal”, vou dar preferência às notícias internacionais cujas, certamente, traduzirão a real dimensão do que foi esse cidadão ímpar.

(Repara que a inclinação do MAC é paralela à do Pão de Açúcar.
Pra mim, isso é uma das mais completas definições da máxima:
"Deus mora nos detalhes!")

Dia negro: lá se foi, também, Dave Brubeck. Tá feia a coisa... 

quarta-feira, 5 de dezembro de 2012

243 ANOS DE ROCK

O Ricardinho (Little Richard) completa 80 anos hoje.
Somado aos 86 de Chuck Berry e os 77 de Jerry Lee Lewis, temos um belo exemplo do que esses caras representam para a música do planeta.

(Destaque para a espetacular versão cool do Chuck Berry para “You Never Can Tell”.)

Little Richard – Tutti Frutti
Jerry Lee Lewis - Great Balls of Fire
Chuck Berry - C'est La Vie (You Never Can Tell)

terça-feira, 4 de dezembro de 2012

PIADA VELHA

Não sou lá grande fã de piadas regionais.
Mas, algumas são deliciosamente clássicas.
Acho essa, um dos melhores exemplos.

Dizem que numa pequena cidade do interior de Minas, uma médica, atendendo uma criança pelo SUS, leu o nome na ficha para chamá-la:
Eistratela de Quica da Sirva.

A médica, um pouco encabulada, perguntou à mãe a origem do nome.
- Uai, dotora, o pai dela foi registrá lá em Santana da Vargi e o hômi do cartório preguntô: "E como a minina vai se chamá?"
- Aí ele arrespondeu: “Vai sê o memo nome da vó dela!”
- E como se chama a vó dela? - Uai, EIS TRATA ELA DE QUICA...
- E o hômi du cartório preguntô de novo: e quar o subrinome?
- Ele arrespondeu: “É da Sirva.”
Quando nóis viu o rigistro tava iscrito lá: Eistratela de Quica da Sirva.
Mas nóis queria mesmo é que ela tivesse o nome da avó: Francisca!

(Valeu, Márcio Vieira.)

segunda-feira, 3 de dezembro de 2012

PATÉTICO


adjetivo e substantivo masculino - Que ou o que tem capacidade de provocar comoção emocional, produzindo um sentimento de piedade, compassiva ou sobranceira, tristeza, terror ou tragédia. 

É só assim que (segundo o Houaiss) posso definir as cerimônias de entrega dos prêmios de fim de ano das emissoras para o futebol tupiniquim.

A ESPN, como convém à sua condição de “alternativa”, mandou a sua Bola de Prata na hora do almoço. Tudo bem, a Bola de Prata é tradicional, é da Revista Placar, etc, etc, mas, na emissora do Tr(argh)jano, Juca-Senil-Kfoury e seus miquinhos amestrados, se transforma numa grande bobagem pseudo engraçadinha.

O grande espetáculo (!?) ficou, é claro, para o SporTv / CBF (leia-se rêdigrobo) com direito ao Zé das Medalhas fazendo declaração de amor para a heroína que o acompanha há 55 anos, governador de São Paulo e outras otôridades na plateia, mulheres de shortinho fazendo coreografias constrangedoras e cobrança pseudo isenta do diretor máximo do canal – reivindicando melhores condições de gramado e comportamento mais comercial (!?) dos jogadores.

Além do Globolinha - famigerada invenção digital para destacar o gol mais bonito do campeonato. Se eu fosse o Neymar (na verdade preferia ser o pai dele – um dos melhores empregos da atualidade só perdendo para a presidência da câmara, do senado e que tais...), teria vergonha de receber esse prêmio de uma coisa quase tão ridícula quanto o tatu-bola "fuleco".

E muuuita politicagem descarada como, por exemplo, uma descabida homenagem ao Marco Polo Del Nero, presidente da federação paulista e suspeito de algumas das falcatruas da vez.

Pra variar, é de matar de vergonha.

quinta-feira, 29 de novembro de 2012

CARA DE UM, INTELIGÊNCIA DO OUTRO

Lá se foi Joelmir Betting. O Paulo Francis do jornalismo esportivo.
É isso mesmo... Esportivo!

Entre muitas outras coisas memoráveis, foi o criador da expressão “Gol de Placa”: após ver o Pelé driblar seis jogadores do Fluminense e fazer mais um golaço, o então jornalista esportivo Joelmir mandou fazer uma placa de bronze, para colocar na entrada do Maraca, com os dizeres “Neste estádio Pelé marcou no dia 5 de março de 1961 o tento mais bonito da história do Maracanã”.

Mais tarde ele diria: “Nunca fiz um gol de placa, mas fiz a placa do gol.”

Virou jornalista econômico porque não conseguia se segurar nas transmissões dos jogos do Palmeiras.

E o Brasil segue ficando mais burro...

terça-feira, 27 de novembro de 2012

PESQUISA

Entra em campo o sofisticadíssimo DataHaja para saber dos milhares e milhares de leitores desse blog suas valiosas opiniões sobre:

Situação 1 -
Um cidadão bonitão vem caminhando pela rua e para na frente de uma vitrine de lingeries. Passa uma mulher e, vendo a cena, pensa:

a) Que pena, tão bonito e boiola.
b) Que pena, deve estar escolhendo pra mulher dele...
c) Hmmm... Vou aproveitar pra chegar junto.
d) NRA (Nesse caso, qual seria o pensamento?)

Situação 2 -
Uma cidadã bonitona vem caminhando pela rua e para na frente de uma vitrine de shorts e cuecas. Passa um homem e, vendo a cena, pensa:

a) Tão gostosa e sapata.
b) Deve estar escolhendo pro sortudo dela...
c) Hmmm... Vou aproveitar e chegar junto.
d) NRA (Nesse caso, qual seria o pensamento?)

Após a intrincada tabulação de tão fundamental pesquisa, o DataHaja divulgará os resultados estratificados por sexo e faixa etária.
Divirtam-me!

domingo, 25 de novembro de 2012

F1

Foi-se o tempo em que eu ligava pra fórmula 1. E ligava mesmo!

Tinha pilhas e pilhas de 4 Rodas arquivadas na estante, vi o Emerson Fittipaldi ser campeão mundial em Monza em 1972 (graças ao falecido Regis Cardoso que me arrumou uma credencial para a pista) e cansei de torcer pelo Piquet – pra mim o segundo melhor piloto depois do Fittipaldi.

E, para o patriótico desprezo dos milhares e milhares de leitores desse blog, nunca achei muita graça no Senna.

Hoje, por pura falta do que fazer, assisti ao GP de Interlagos que deu ao Vettel o tricampeonato mundial. Passei a gostar mais do Rubinho Barrichello cujo, além de comentar com propriedade, aturou com galhardia o Galvão. É coisa pra se elogiar!

Mas, mesmo com a redigrobo forjando aaaltas emoções, choros e ranger de dentes, não consigo mais achar graça nesse esporte (?) em que o piloto vale cada vez menos.

quinta-feira, 22 de novembro de 2012

O MELHOR DO MUNDO

Messi, Cristiano Ronaldo, Neymar, Iniesta, Ibrahimovic? Nenhum desses.
O melhor jogador do mundo é Thiago Neves.

Desde que respeitadas algumas condições:
1. O gol deverá ter 14 metros de largura por 5 de altura e o goleiro adversário deverá estar sempre desatento. Aí, poderemos ter a chance de ver golaços com a bola entrando na forquilha!

2. Os companheiros de time deverão se posicionar sempre a, no máximo, 1 metro e meio de distância. Aí, veremos inúmeros passes precisos e improdutivos.

3. Numa situação de lançamento, todos os companheiros de time deverão correr alucinadamente para todos os lados do campo. Aí, veremos lançamentos aleatórios que serão um poema futebolístico.

Em resumo, sou obrigado a concordar com o pernóstico comentarista do SporTv: “Os técnicos vêem coisas no Thiago Neves que ninguém mais vê.”

quarta-feira, 21 de novembro de 2012

UOUÔÔU NADA MUDOOU...

Já cansei de ver esse filme e, pior,
aposto que vou continuar a ver.

Condenado, Carlinhos Cachoeira recebe autorização para deixar a prisão

Decisão do TJ-DF condena bicheiro a cinco anos de prisão, mas pena deverá ser cumprida em regime semiaberto.

O bicheiro Carlos Augusto Ramos, o Carlinhos Cachoeira, foi condenado nesta terça-feira a cinco anos de prisão mais multa, pelos crimes de formação de quadrilha, exploração de jogos e tráfico de influência. A decisão, tomada pelo Tribunal de Justiça do Distrito Federal (TJ-DF), é resultado das investigações da Operação Saint-Michel, que apurou irregularidades no sistema de transporte público. Como a pena imposta ao bicheiro é inferior a oito anos, o regime inicial da prisão deve ser semiaberto. Assim, Cachoeira obteve um habeas corpus que o autoriza a deixar o presídio da Papuda ainda na noite desta terça-feira.

terça-feira, 20 de novembro de 2012

1001 UTILIDADES DO VINAGRE

Considerando que este é o post número 1001, sinto-me na obrigação de brindar os milhares e milhares de leitores deste blog com essas valiosíssimas dicas tipo “Sebastiana Quebra-Galho”.

(Será que alguém, com exceção do desaparecido filósofo urco Nazareth Murtinho, já ouviu falar deste livro?)


Spray de Vinagre: coloque um pouco de vinagre branco em um frasco spray, spray sobre a área mofada, e deixe agir sem enxaguar.
Onde Usar: nos utensílios de madeira, como colheres de pau, tábuas de carne, geladeira,freezer e micro-ondas.

Lavanderia: coloque num borrifador a mesma quantidade de água e vinagre branco. Aplique sobre manchas nas roupas antes de colocá-las na máquina. Para aumentar o poder de limpeza do seu sabão em pó, espere a máquina de lavar encher e adicione à água uma xícara de chá de vinagre puro. Depois, deixe lavar normalmente.

Cozinha: esqueceu a panela no fogo? Para retirar resíduos queimados do fundo de panelas e frigideiras, encha-as de água e adicione 4 colheres (sopa) de vinagre branco. Leve ao fogo e deixe ferver. Espere esfriar e lave normalmente.
 Mais benefícios do vinagre na cozinha:
- Para desinfetar a máquina de lavar louças, dê um ciclo de pré-lavar com uma xícara (chá) de vinagre.
- Para deixar os copos de vidro brilhantes, deixe-os de molho numa bacia com água e gotas de vinagre branco. Depois, lave-os com detergente.
- Para deixar o fogão novinho em folha após fazer frituras, deixe um pouco de vinagre sobre a gordura 15 minutos antes de começar a limpeza.

Banheiras: o ralo de uma banheira exige um solvente forte. Molhe uma toalha de papel com vinagre sem diluí-lo e coloque sobre o ralo. Deixe o papel secar, coloque algumas gotas de vinagre e esfregue com uma esponja. Uma vez por ano, despeje uma garrafa de vinagre em sua banheira e ligue-a. Isto ajudará a evitar que os jatos sejam obstruídos por resíduos de sabonete.

Chuveiros: bocais do chuveiro podem ser obstruídos por depósitos minerais da água. Remova os depósitos misturando 1/2 xícara de vinagre e 1/4 de água em uma bacia ou balde. Remova o bocal do chuveiro e deixe-o na solução de vinagre por 15 minutos. Para bocais plásticos, deixe-os por 1 hora em uma mistura de 500ml de vinagre e 500ml de água quente. Remova a sujeira dos boxes e paredes borrifando-os com vinagre e deixe secar, então borrife novamente para umedecer e limpe com uma esponja. Caso necessário, reaplique e deixe por algumas horas. Então umedeça e limpe novamente.
Cortinas do box ou revestimentos podem ser cobertas por camadas de sabonete ou mofo. Mantenha uma garrafa de vinagre próxima ao chuveiro, e borrife nas cortinas uma ou duas vezes por semana. Não precisa enxaguar. Às vezes, o mofo pode deixar manchas nas cortinas caso não seja removido rapidamente. Para remover estas manchas misture bórax com vinagre o suficiente para formar uma pasta, então esfregue na área manchada.

Pias: água dura e depósitos minerais ao redor da pia e torneiras de banheiras podem ser removidas cobrindo a área manchada com toalhas de papel molhadas no vinagre. Cubra e deixe sobre a área por 1 hora, então limpe com uma esponja úmida.

Vasos Sanitários: despeje vinagre no vaso e deixe por 30 minutos. Então borrife bicarbonato de sódio em uma escova para limpeza de vasos e esfregue as áreas manchadas. Dê descarga (!).

Paredes: faça uma solução de vinagre e água morna em partes iguais. Aplique-a sobre riscos de lápis e marcas espalhadas pelas paredes. Esfregue o local com um pano macio até que as manchas desapareçam. Armários: para eliminar o odor de mofo, esvazie os compartimentos e deixe pernoitar, dentro do móvel, uma bacia ou assadeira com vinagre branco puro. Em seguida, passe um pano embebido nesse líquido.

segunda-feira, 19 de novembro de 2012

O EIXO DA TERRA

Segundo os eternos especialistas baseados, quase sempre, em “estudos” da NASA ou qualquer outra sigla que passe respeitabilidade, os terremotos do Chile em 2010 e do Japão em 2011 alteraram o eixo da terra.

Segundo os eternos arautos do apocalipse, com base em encontros esotéricos com Ypsonlondon - o Comandante Supremo das Forças da Galáxia, esse é um dos fatores que comprovam o fim do mundo,
tal qual nós o conhecemos, para o mês que vem.

Segundo o pentelho que vos fala, isso tudo é falta do que fazer.
Mas, uma coisa é inegável: essa porra desse tempo está voando e dá a sensação de escapar entre os dedos. Ou, se preferirem uma postura mais poética (?), está escapando entre o cotidiano.

Essa baboseira toda é pra justificar o fato desse ser o milésimo (!) post deste blog desde junho de 2009.
E parece que foi ontem. E parece que foi pouco.

Perdão leitores, mas vocês hão de concordar: Haja Muuito Saco!

sexta-feira, 16 de novembro de 2012

A COISA


Tenho grande admiração por artistas em geral.
E tenho proporcional desprezo por todos aqueles que, ao apresentar suas obras, começam por falar na "coisa" da arte.

Acho que quem tem o que mostrar, deve fazê-lo sem maiores frescuras hodiernas. Isso de ficar falando em "coisa" da arte, "coisa" da música etc, é pura boiolice ou pior: apropriação do nojento discurso politicamente correto visando se colocar como uma figura mais importante do que realmente é.

Publicada em 1945 no "New Masses", segue trecho de uma entrevista de Pablo Picasso:

- ¿Por qué pinta de un modo tan difícil de comprender para la gente? -le pregunté.
-Pinto así porque mi pintura es fruto de mi pensamiento. He trabajado durante años para obtener este resultado y si diese un paso atrás sería una ofensa al pueblo, porque lo que hago es coherente con mi pensamiento. No puedo emplear recursos convencionles sólo para darme la satisfación de ser comprendido. No quiero descender a un nivel inferior. Usted es pintor. Comprende que es prácticamente imposible explicar por qué hace uno ésto o lo otro. Yo me expreso a través de la pintura, y no soy capaz de hacerlo mediante palabras. No puedo dar una explicación del porqué he hecho algo de una determinada manera. En mi caso, si realizo un boceto de una mesa pequeña (al insante agarró una para ilustrar sus palabras) percibo cada detalle. Observo su tamaño, su grosor, y lo traduzco a mi modo.

Ou seja, quem tem o que mostrar, batalha e mostra.
Quem não tem, fica com a "coisa".

quinta-feira, 15 de novembro de 2012

E NÃO É QUE ACABEI TORCENDO?

Brasil 1 X 1 Colômbia

Não acho muita graça nessa seleção da CBF. Mas, ontem acabei torcendo para o time que corria, marcava, trocava passes (menos o Thiago Neves que, pra variar, errou todos os passes e dribles que tentou), se esforçava e perdia chances de gol.

O que me fez pensar na seguinte teoria: dentro de cada torcedor convivem duas entidades.

Uma é o torcedor propriamente dito; aquele que só vê o seu time e, fundamental, sempre mantém uma escala de rivais a serem odiados.
Nós torcedores, quando em ação, somos pentelhos insuportáveis.

A outra é o apreciador do futebol. Essa entidade só se apresenta nas pessoas que dão a sortinha de ver, ou ter visto, figuras como Pelé ou Garrincha.

Perdi a conta das vezes em que fui ao Maracanã ver o Pelé.
No Santos, na seleção, não importava. A gente ia ver o Pelé.
E sempre saía satisfeito. Mesmo quando era contra o Flamengo.

Fernando, Chico e eu, rubro-negros de carteirinha, saíamos do Leme e andávamos até General Severiano pra ver o Garrincha treinar. E sempre valia a pena. Ruim era quando chegava o domingo e o execrável Manga (goleiro do Botafogo) declarava que já tinha gasto, com antecedência, o bicho do jogo contra o Flamengo. E não tinha jeito. O tortinho ia lá e acabava com o jogo. Mesmo sendo o Jordan o melhor marcador que o Garrincha enfrentava, segundo palavras do próprio.
E, mesmo se corroendo de ódio, a gente não podia deixar de admirar o que o cidadão aprontava.

Hoje, penso que o Neymar está fazendo com que as novas gerações tenham a chance de incorporar a segunda entidade.
Se não, vejamos: Messi é argentino (e aí o torcedor entra em cena...), Ronaldinho Gaúcho foi um meteoro no Barcelona, assim como vários outros.
O Neymar, não. Está perto, a gente vê toda hora e, importante, pode fazer coisas incríveis a qualquer momento.
Inclusive chutar um pênalti na estátua da Liberdade.

terça-feira, 13 de novembro de 2012

ATWHAT? - PROJETOS INSTIGANTES

A ATWHAT? é uma empresa com mais de 20 anos de atuação na concepção e montagem de projetos que, até agora, nunca foram executados.

Entre muitos outros, destaca-se a Pipoca Esotérica. Funciona assim: instala-se uma carrocinha de pipoca na porta de cinemas “cult”.
A carrocinha tem pipoca doce e salgada, som suave (música clássica de preferência) e, principalmente, o pipoqueiro.

Este, além de vender o produto, conversará com os clientes emitindo críticas fundamentadas e imparciais sobre o(s) filme(s) em cartaz.

Poderá também vender brindes relativos à programação tais como reproduções de cartazetes, fotos das principais cenas do filme, etc.

Interessados em participar de iniciativas tão fundamentais para a cultura brasileira entrem em contato.

sábado, 10 de novembro de 2012

PENSAMENTOS DESCONEXOS


Gosto muito de jogar poker na internet. Ocorre que muitas vezes a mesa é formada por jogadores que adoram pensar looongamente antes de jogar.
É preciso muita paciência.

Aí, enquanto eles pensam, ideias (formadas sabe-se lá onde e por que) pululam na minha cabeça.

Por exemplo, ouvindo John Lennon uivar em “Mother”, acho que o Paul McCartney merece tudo o que conquistou - e muito mais - pelo simples fato de ter aturado esse pentelho por tanto tempo. Heresia? Foda-se. Pra mim, o cara babaqueou. (Registre-se que o verbo “babaquear” é uma brilhante criação do meu sumido amigo Fuca.)

Quando eu for presidente do mundo vou decretar que “California Dreamin” e “Monday Monday” só poderão ser tocadas uma vez por semestre em qualquer rádio cujo público alvo sejam os idosos.

Pra finalizar, as melhores de uma deliciosa reunião que, ontem, tive a sortinha de participar. Cujas, pra variar, foram da SuperJulia:

“-Tudo que fiz na vida foi cedo. Casei cedo, tive filhos cedo, tive netos cedo, só não quero morrer cedo. É que de manhã tenho muito sono...”

“-Queria ser coqueiro: magra, alta e morar numa praia do nordeste.”

quarta-feira, 7 de novembro de 2012

ADÊVOGADOS

Com o retorno da séria série “Ação Penal 470” marcado pra hoje, vamos a algumas piadinhas – velhas é claro.

Um advogado e um engenheiro estão pescando no Caribe, quando o advogado diz:
"Estou aqui porque minha casa pegou fogo, e tudo foi destruído. A companhia de seguros pagou tudo, e com o que sobrou vim para cá'".
"Que coincidência! Estou aqui porque minha casa e tudo o que estava dentro foi levado por uma enchente. O seguro cobriu tudo.", diz o engenheiro.
O advogado fica calado por alguns instantes, e então pergunta:
"E como foi que você começou a enchente?"

O avião estava com problemas nos motores e o piloto pediu as comissárias de bordo para prepararem os passageiros para uma aterrissagem de emergência. Alguns minutos depois, ele chama uma atendente para saber se tudo esta bem na cabine e ela responde: "Todos estão preparados, com cinto de segurança e na posição adequada, menos um advogado, que está entregando seu cartão aos passageiros!"

Um advogado está tranquilamente tomando sol na praia quando uma bela senhora se aproxima: - Doutor Fernando, o que faz por aqui?
O advogado, querendo mostrar que advogados também podem ter veia poética, responde com ar conquistador: - Roubando raios de sol...
A senhora, sorrindo docemente: - Vocês, advogados, sempre trabalhando...

sábado, 3 de novembro de 2012

QUEM É MESMO ESSE CARA?

Humberto Teixeira foi advogado, deputado federal, poeta, instrumentista, fundador da Academia Brasileira de Música Popular (?)
e, principalmente, compositor.

Foi parceiro de Luiz Gonzaga em mais de 100 músicas entre elas Asa Branca cuja, no dizer do autor da melodia – o Gonzagão – era uma brincadeira, uma melodia de criança, com cinco notas apenas. Entregou para o Humberto e o resto é história. Desde 1947.

O cidadão é responsável também por Kalu (para Dalva de Oliveira), Adeus Maria Fulô (com Sivuca) e muitas outras.
Além de ser pai da Denise Dumont – gracinha da década de 70 – que hoje, aos 57 anos vive (bem, espero) nos EUA.




sexta-feira, 2 de novembro de 2012

NA ERA DO RÁDIO

É claro que a rádio que eu escuto é pra velhos.
Ou pretende ser.
Aí, tome de “Anos Dourados”, “Noite no Ar” e outros tantos títulos que fazem lembrar a Rádio Tamoio do Rio, anos 60, responsável pela transmissão da maior pérola da programação de então: “Aquarela Musical”.

As músicas eram anunciadas por cores e você telefonava para votar na cor que representava a música de sua preferência. Ao final, o locutor “cidimorêra” anunciava a vitória da música ciclâmen - interpretada por Mark Davis (que depois virou Fábio Júnior...).
Ciclâmen!!! Que porra de cor é essa???

Mas, divago.
O fato é que a rádio que eu escuto parece ter uma programação feita por um viúvo(a) do Cazuza. A cada 15 minutos... Cazuza!

O que serviu para constatar que ele fez coisas muito boas, diminuiu minha implicância com o cidadão (mas não com a mãe dele) e que, coerente com seu estilo de vida, não sabia a hora de parar.
Quer dizer: as músicas vão indo bem, as frases são bem sacadas mas, quando chega a décima quinta repetição você tem vontade de jogar o rádio no quintal do vizinho.

Segue o baile...

quinta-feira, 1 de novembro de 2012

Ô POVO BURRO!

Segundo a CEF - administradora do maior cassino do país - no ano passado foram arrecadados 9 bilhões e 700 milhões em suas diversas modalidades.

Do total desse dinheiro, 170 milhões de reais, em prêmios, não foram reclamados.

Aí, é claro, já rola no congresso um tanto de projetos visando meter a mão nessa grana. As propostas são todas muito bem intencionadas: vai pra Saúde, vai pra Educação, mas, todos sabemos bem onde, no final das contas, vai parar a bufunfa.

O que me espanta é a quantidade de gente que joga e não confere.
Ou confere errado.
Pensando bem, pra quem não sabe votar, deve ser muito difícil mesmo conferir uns tantos numerinhos e ver se os seus são iguais...

terça-feira, 30 de outubro de 2012

SANDY FAZ UM ACONCHEGO EM OBAMA

Segundo os nefandos "especialistas" e "cientistas políticos", o furacão foi um vendaval de faturamento de imagem para o “moreno-do-leque”. (Que era como o Chico Anysio, incorporando o “Painho”, chamava o “Bará-que-abana”)

Graças ao ventão, ele apareceu, faltando uma semana para as eleições (que vão acontecer em plena terça-feira!), muito mais do que poderia imaginar.
E com toda a classe de governante preocupadíssimo com o bem estar de seus compatriotas. É o nirvana de qualquer candidato.

Sei não...
Mas acho que, como cá, o povo de lá também é bem bobo, né não?

PAPO DE BOTECO

- Quem não tem medo de elevador é porque não tem imaginação. Um cubículo lacrado pendurado por fios que te leva a, ou traz de, trinta, quarenta metros de altura é coisa de filme de terror.

- Ah, é? E avião?

- Avião é diferente. Tem piloto, etc.
Além do mais, ainda bem, só ando de avião de vez em quando.
Então, a estatística está do meu lado.

- Nunca ouvi falar de elevador caindo.

- Claro que já. É que acidente de avião dá muito mais ibope.
Elevador é foda...

- Que andar você mora?

- No décimo.

- Hmmm... Mais de trinta metros hein? Todo dia, hein?

- Pópará!

- E o Sandy, você viu que estrago?

- É... Imagina se o Júnior tivesse vindo junto.

- Putz! Piada pronta, não! Garçon, a conta!

sábado, 27 de outubro de 2012

DECADÊNCIA

Sou fã incondicional do Jefferson Airplane e, claro, da Grace Slick.

Aí, vêm as inevitáveis turnês “revival” pra faturar algum graças aos velhos (nós) dependentes de boa música.

Mas essa loura - grávida? - e desafinada é uma falta de respeito à nossa imbatível Grace que hoje, às vésperas de completar 73 anos (no dia 30/10), cansadinha de tanta doideira, se dedica à pintura.


Compara com a original (cuja, infelizmente, não consegui achar “ao vivo”) e me diz se estou errado:

quinta-feira, 25 de outubro de 2012

NÃO CUSTA LEMBRAR...

O Bob Fernandes, em 20 de agosto, fez esse interessante resumo.
Pra quem não tem paciência de ler, segue o vídeo no final.

Há quem diga ser uma farsa o julgamento do chamado "mensalão". Não, não é uma farsa. É fruto de fatos. Ou era mesada, o tal "mensalão", ou era caixa dois. Mas não há como dizer que há uma farsa. E quem fez, que pague o que fez. A farsa existe, mas não está nestes fatos.

Farsa é, 14 anos depois, admitir a compra de votos para aprovar a reeleição em 98 -Fernando Henrique-, mas dizer que não sabe quem comprou. Isso enquanto aponta o dedo e o verbo para as compras agora em julgamento. A compra de votos existiu em 97. Mas não deu em CPI, não deu em nada.

Farsa é fazer de conta que em 98 não existiram as fitas e os fatos da privatização da Telebras. É fazer de conta que a cúpula do governo não foi gravada em tramóias escandalosas num negócio de R$ 22 bilhões. Aquilo derrubou um pedaço do governo tucano. Mas não deu em CPI. Ninguém foi preso. Não deu em nada.

Farsa é esquecer que nos anos PC Farias se falava em corrupção na casa do bilhão. Isso no governo Collor; eleito com decisivo apoio da mídia. À época, a polícia federal indiciou 400 empresas e 110 grandes empresários. A justiça e a mídia esqueceram o inquérito de 100 mil páginas, com os corruptos e os corruptores. Tudo prescreveu. Fora o PC Farias, ninguém pagou. Isso foi uma farsa.

Farsa foi, é o silêncio estrondoso diante do livro "A Privataria Tucana". Livro que, em 115 páginas de documentos de uma CPI e investigação em paraísos fiscais, expõe bastidores da privatização da telefonia. 

Farsa é buscar desqualificar o autor e fazer de conta que os documentos não existem ou "são velhos". Como se novas fossem as denúncias agora repisadas nas manchetes na busca de condenações a qualquer custo.

Farsa é continuar se investigando os investigadores e se esquecer dos fatos que levaram à operação Satiagraha. Operação desmontada a partir da farsa de uma fita que não existiu. Fita fantasma que numa ponta tinha Demóstenes Torres e a turma do Cachoeira. E que, na outra ponta da conversa que ninguém ouviu, teve o ministro Gilmar Mendes.

Farsa é, anos depois de enterrada a Satiagraha, o silêncio em relação a US$ 550 milhões de dólares. Sim, por não terem origem comprovada, US$ 550 milhões continuam retidos pelo governo dos EUA e da Inglaterra. E o que se ouve, se lê ou se investiga? Nada. Tudo segue enterrado. Em silêncio.

O julgamento do chamado "mensalão" não é uma farsa. Farsa é isolá-lo desses outros fatos todos e torná-lo único. Farsa é politizá-lo ainda mais. Farsesco é magnificá-lo, chamá-lo de "maior julgamento da história do Brasil".

Farsa não porque esse não seja o maior julgamento. Farsa porque se esquecem de dizer que esse é o "maior" porque não existiram outros julgamentos. Por isso, esse é o "maior". Existiram, isso sempre, alianças ideológicas, empresariais, na luta pelo Poder.
Farsa porque ao final prevaleceu, sempre, o estrondoso silêncio cúmplice.

quarta-feira, 24 de outubro de 2012

INFLUÊNCIAS DA AÇÃO PENAL 470

Tenho ganas de chutar a televisão quando o eminentíssimo Marco Aurélio - primo do Collor - se põe a falar. Sabe-se lá por que, todas as palavras que terminam em “al” são pronunciadas com incrível afetação e ficam mais ou menos assim: “tribunáhl”, “penáhl”, “eventuáhl”.

E todas terminam com um arfar cujo,
se estivéssemos numa escola da era pré-politicamente correta, levaria o cidadão a ser devidamente brindado com alguns apelidos impublicáveis, mas que todos sabemos quais seriam.

Tirante o Fux (mais) e o Barbosão (um pouco menos) que falam quase como seres humanos normais, todos os outros(as) parecem estar numa competição em que vence quem falar mais palavras e períodos próximos do samba-do-crioulo-doido-com-leitura. E citações. Muitas citações.

Aí lembrei daquelas tabelas para formar frases pseudo profundas que não dizem nada. (Lembra disso? Se não, tem uma boa aqui: http://www.pavablog.com/2012/07/08/10-mil-modos-para-voce-dizer-absolutamente-nada/)

Seguem alguns exemplos:
"A plenitude da cidadania se realiza pela qualidade e extensão do pensamento das pessoas."

"O Neymar enriquece a naturalidade da movimentação."

"É fundamental que o diagnóstico da avaliação diferencial seja realizado de maneira equidistante das estruturas direcionais a serem aplicadas."

terça-feira, 23 de outubro de 2012

TOMA, DISTRAÍDO.

 

(Valeu, Vitor.)

STAR-SPANGLED BANNER...


Obama e Romney se enfrentam no debate sobre política internacional. Tema que provoca pouquíssimo interesse nos americanos mas, para o resto do mundo, é deveras importante.
Afinal, precisamos saber o que os caras pensam sobre esses estranhos seres alienígenas. Ou seja, nós.

De cara o Romney, numa crise aguda de nostalgia, diz que a Rússia é o maior inimigo dos EUA.
Seguem confusas teses de ambos sobre o “mundo árabe” e o oriente médio em geral.
Obama faz questão de lembrar seu “home run”: eliminou o Bin Laden.

De diferente, até agora, o clima muito mais direto do que vemos por aqui. Os caras se olham no olho e enquanto um fala o outro observa com um cândido sorriso no rosto. No mais das vezes beirando a ironia, mas com classe.

O Papel da América no Mundo.
Romney segue a cartilha de muitas décadas e declara que os EUA precisam ser fortes para disseminar a paz e prosperidade no quintal deles. Ou seja, o planeta.
Obama repete a cantilena. “O mundo precisa dos EUA forte.” Alianças, países amigos, etc, etc, etc. Aproveita e, misturando tudo, acusa Romney de propor políticas erradas sobre a economia.
O Romney embarca na canoa, o Obama rema com força e a coisa vira um “crazy nigger samba”.

Gastos Militares.
Obama: cifras, equilíbrio de investimentos, redução de custos, blá-blá-blá.
Romney: cifras, aumento de investimentos, blá-blá-blá.

Israel X Irã.
Obama jura amor eterno a Israel. Romney também. E ambos também concordam que, se o Irã se comportar direitinho e parar com essa história de armas nucleares, as portas estão abertas para negociar.
Tá dando sono.
No capítulo “videogame” os dois concordam em usar mais drones - aviões não tripulados entupidos de mísseis.
Resta saber quem manda mais no joystick...

China.
Obama diz que ganhou a grande maioria das batalhas comerciais contra a China e que a saída é investir na educação para melhorar a competitividade.
Romney puxa o saco dos orientais e diz que a saída é dialogar (?) para diminuir o relacionamento desonesto com os plagiadores chineses. Agora é o Romney que aproveita, mistura tudo e acusa o Obama de fuder a economia americana.

E o debate chega ao fim. Declarações finais óbvias de ambos sem nenhuma menção aos cucarachas a não ser uma frase en passant do Romney sobre a necessidade de incrementar as relações comerciais com a América Latina. Uau!
E agora? O que nos espera?
A solução está na nossa bola da vez: Barbosão neles!

sábado, 20 de outubro de 2012

HORA DANÇANTE - 22

O Lovin’ Spoonful, em priscas eras, foi imortalizado pela imbatível melacueca “Lonely”.
Mas, eles fizeram mais (algumas) coisas boas.

(Os vídeos são umas bostas - especialmente o “Lonely”.
Mas, foi o que se pode arranjar...)




quinta-feira, 18 de outubro de 2012

TRISTE VERDADE

quarta-feira, 17 de outubro de 2012

ACABA HOJE OU NO DOMINGO?

FLUMINENSE 2 X 2 GRÊMIO

Pra mim, o Grêmio não fede nem cheira. Tá lá longe, não gosto do Luxemburgo nem de seus “pojetos”. Do Fluminense gosto menos ainda. Coisas de torcedor.

Mas o fato é que até agora, fim do primeiro tempo, está sendo um jogão.
Poucas faltas, muitas chances e pra mim, rubro-negro que sou, atualmente quando vejo mais de quatro passes certos me sinto nos Jardins do Éden.

A troca do Elano por Mirales deve ter sido a mais certa do ano.
O Elano no Santos estava dando dó.
E o Mirales no Grêmio estava meio chove não molha, acho.
Os dois agora estão deitando e rolando.

No Grêmio, Gilberto Silva e Zé Roberto (mas que ca-be-li-nho, hein?) passam um pouco de dignidade - coisa cada vez mais rara no “ftêbol”.

No Fluminense dá gosto de ver o Deco: é craque.
O Fred podia, perfeitamente, ser escalado num “zorra total” da vida.
Ele tem cara de comediante. Mas, argh, é eficiente.

9 do segundo tempo, falta na entrada da área do Fluminense. Elano incorpora Ronaldinho Gaúcho, aposta no pulo da barreira e se dá bem. Rasteirinha no canto, 1 X 0.

Aos 13, corner para o Flu, a bola sobra pro Digão empurrar e empatar.

Aos 17, Rafael Sobis dá uma porrada certeira de fora da área.
Gaveta. 2 X 1.

O profexô põe Marcelo Moreno em campo. Exatamente 43 segundos após entrar em campo ele dá uma cotovelada no Rafael Sobis e é expulso. Sai dizendo que é armação da arbitragem para ajudar o Fluminense. (Esse deve ter uma boa [?] assessoria de comunicação...)

Aos 40, falta para o Grêmio, Léo Gago solta a pancada, o goleiro rebate e Zé Roberto empata.

Promessa de altas emoções nos minutos finais. Não cumprida.
Mas, foi um jogão!
(Se, em Belo Horizonte, a noite for calma, acho que o brasileirão acaba hoje.)

ATUALIZAÇÃO:
Noite calma nas Alterosas. 
SANTOS 2 X 2 ATLÉTICO

Obs.: o Neymar jogou ontem na Polônia, fez dois gols, pegou um avião, chegou hoje, jogou e fez um golaço.
Tudo muito lindo mas... Até quando esse cara vai aguentar?

terça-feira, 16 de outubro de 2012

CHURRASQUEIROS

Seja na laje da Rocinha (regado a Nova Schin) ou no espaço gourmet da cobertura do Leblon (regado a cerveja artesanal de trigo) os churrascos têm uma coisa em comum: o Churrasqueiro.

Claro que ele não é o mesmo. A atitude é que é a mesma em qualquer situação. Por algum estranho motivo o cidadão, quando envolvido com carnes, temperos, carvão e calor, assume a postura de quem está no cumprimento de uma missão divina.

Aí, a conversa é entrecortada, o Churrasqueiro, na maior parte do tempo apresenta um olhar meio perdido, executa rituais incompreensíveis, murmura frases desconexas como “Hmmm, agora vamos ver você, querida fraldinha...”, enfim, habita um plano espiritual evoluído e somente acessível aos ungidos pela gordura que respinga teimosamente.

Nós, os eleitos para ter a suprema graça de saborear a “querida fraldinha”, devemos tomar a cervejinha (seja Nova Schin ou artesanal de trigo) e aguardar humildemente a hora que o ungido distribui o resultado de seu complexo ritual. Nesse momento é de bom tom salivar, revirar os olhos e elogiar. Mesmo que a carniça esteja torrada.

Aí o Churrasqueiro desperta com os aplausos, se realiza e volta ao convívio com os mortais. Por poucos instantes, pois logo é a vez dela, a estrela máxima do show: a Picanha!
O Churrasqueiro, após fazer o pedaço de boi passear por baixo das narinas dos eleitos, emenda com explicações detalhadas sobre a qualidade da peça, sobre como ele faz o corte perfeito etc, etc e volta ao seu plano espiritual evoluído.

Você já não aguenta mais, está meio bêbado e enjoado, mas não tem escapatória. Ir embora antes da picanha é ofensa gravíssima passível de pesadas punições sociais. Então o jeito é aguardar, salivar, revirar os olhos, elogiar e se pirulitar logo depois; jurando que, na próxima, vai se incluir fora dessa.

Temperado engano. Você vai voltar.

domingo, 14 de outubro de 2012

HAJA ENTREVISTA: LOR

LOR (Luiz Oswaldo Rodrigues) é médico e cartunista.
Ou cartunista e médico como podemos ver a seguir.

Por que você começou a desenhar, o que desenhava, etc.
(“Etc” significa tudo o mais que você achar importante para o deleite dos milhares e milhares de leitores deste blog.)
Desenhava porque gostava, como todo menino, mas meu pai me incentivava muito, inclusive, comprando desenhos meus. Depois, pelas mãos do Ziraldo, virei cartunista, porque meu irmão Ernesto Rodrigues, jornalista, levou uns rabiscos meus pro Ziraldo ver e ele me convidou para o Pasquim.
Daí, panhei gosto.

Alguma história (que possa ser contada) da época do Pasquim?
Conheci Henfil, Jaguar, Fortuna e Millôr.
Millôr, ao saber meu pseudônimo, disse imediatamente que ele era mil vezes mais cartunista do que eu. Concordei.

Influências no traço? Se sim, quais, como, etc.
Ziraldo no traço, Nilson na ideologia e Henfil na onipotência. 

Como assim, "onipotência"?
Henfil acreditava que poderia mudar o mundo com sua arte.
Eu também. 

Temos vários exemplos de cartunistas que se “agregam”.
O grupo mais famoso talvez seja Los 3 Amigos – Angeli, Laerte e Glauco. Você tem agregados ou já se agregou a algum grupo?
Tivemos aqui o HUMORDAZ, o Grupo Mineiro de Desenho e a Revista KYX93 com Nilson, Aroeira, Afo, Mário Vale, Procópio, Dirceu, Filó, Chico Marinho, os mais assíduos no antigamente.
Depois veio a internet e acabou com a comunicação humana.

E o prêmio LOR? Surgiu como, visa o quê?
Uns malucos gentis resolveram que eu sou um mestre dos quadrinhos e batizaram um troféu com meu nome. Felizmente, a coisa não foi prá frente. 

E a medicina? Serve como inspiração?
A medicina me sustentou como profissão, o que me permitiu ser um cartunista independente e atrevido. Não fosse isso, estaria fazendo cartunzinho prá agradar patrão.
Filosoficamente, a medicina e a atividade científica que decorreu dela são profissões gratificantes intelectualmente e desafiadoras e assim fornecem alimento para o lado direito do meu cérebro.
Inversamente, o humor desconstrói saudavelmente a pompa e a arrogância da ciência e da medicina.

Rapaz, "pompa e arrogância da ciência e da medicina" dá papo pra uma semana...
Pois é. Ainda que o primeiro princípio da ciência seja a dúvida, acabamos por ter certeza de um conjunto de conhecimentos que nos convencem de que estamos sempre certos.

O resultado é a tentação para cedermos à pompa e à arrogância. Poucos escapam e não sou um deles.