quarta-feira, 22 de dezembro de 2010

SALVE SIMPATIA!

Se o caos aéreo permitir, tô indo encontrar com essa muito bem humorada criaturinha!
E, claro, dar continuidade ao processo de deseducação da criança.

Volto no início de janeiro.

Abraços, boas festas e todos os clichês aos milhares e milhares de leitores que tiveram bom gosto (!?) e paciência para acompanhar esse blog no ano que se vai.

terça-feira, 21 de dezembro de 2010

ENTÃO, EU ACHO É GRAÇA.

Fim de ano, o amor está no ar.

E tome de festas, amigos eternamente ocultos e muita, mas muita hipocrisia. Nos botecos, mesas enormes com as pessoas, em avançada angústia eufórica, trocando juras de amizades profissionais, declarações definitivas do tipo “Ano que vem vamos todos ficar mais juntos, vamos crescer...” e outras improváveis babaquices regadas a chopp escancarado e sarrinhos velados em meio a uivos desafinados acompanhando músicas de gosto duvidoso.

O espírito natalino se derrama em “livros de ouro” e “caixinhas” espalhadas a cada metro quadrado. Como dizia o Baixim para o Cumprido (os fradinhos do Henfil), “Que legal! Você aplaca a sua consciência com esmolas de 20 ou de 50?”

Sinto muito mas, pra mim esse clima é algo próximo da ante-sala do inferno. Então, é melhor rir do que cair na tentação de adquirir um lança-chamas.

segunda-feira, 20 de dezembro de 2010

A PERNA SECA FOI PRO SACO

O Hospital do Fundão, projetado em 1951 - há quase 60 (Sessenta!) anos - teria 2.000 leitos numa área de 220 mil m2. Em 1955, por problemas de liberação de verbas, a obra foi parada e ficou por isso mesmo. Nunca foi terminado, nunca foi ocupado e, segundo contas de quem entende, alguma coisa em torno de R$ 300 milhões do dinheiro público virou poeira ontem.

E daí, né?

Obs.: “Perna seca” era o apelido do prédio.

domingo, 19 de dezembro de 2010

INTEGRADÃO!


O deputado mais votado do Brasil, além dessa troca de olhares com um mais “escolado”, digamos assim, cometeu, para deleite de seus milhões de fãs/eleitores, duas pérolas memoráveis em sua pré-estreia no mar de lama.

Ao saber do auto-aumento obsceno que foi votado no mesmo dia: “Dei sorte!”

Ao responder sobre qual seria seu primeiro projeto: “Comprar um apartamento...”

Pano rápido. Bem rápido.

sexta-feira, 17 de dezembro de 2010

BADFINGER

The Iveys era uma banda inglesa que chamou a atenção de Paul McCartney. Contratados pela Apple, mudaram o nome para Badfinger - inspirados pelo título original de “With a Little Help from my Friends” que era “Badfinger Boogie” (John Lennon estava com o dedo machucado [bad finger] quando compunham “With a Little Help”).

Basicamente Pete Ham, Tom Evans, Joey Molland e Mike Gibbins, o Badfinger teve sucessos memoráveis como esse “No Matter What” além de “Without You (sucesso com Harry Nilsson), “Day After Day” e muitos outros.

Em 1970, Stan Polley assumiu como empresário do grupo e roubou à vontade até 1975 quando fugiu definitivamente com o dinheiro.
Depois disso, Pete Ham se enforcou em casa. Em 1983, com depressão profunda, Tom Evans seguiu seus passos se enforcando no quintal de casa.
Mike Gibbins morreu em 2005 de causas naturais e Joey Molland está por aí até hoje faturando um troco com a Joey Molland’s Badfinger.

Obs.: agradeço penhoradamente a quem conseguir me explicar o que é “aquilo” que aparece na última imagem do vídeo.

quinta-feira, 16 de dezembro de 2010

AUMENTO ESCANDALOSO



Aquela cambada de parasitas, quer dizer os congressistas, se autoconcederam ontem um aumento de 61,8% contra uma inflação acumulada de 20% desde abril de 2007, quando houve o último reajuste.

Ou seja, são fiéis seguidores da máxima do Aran:
“Não se preocupe com o que as pessoas pensam.
Elas não fazem isso com muita frequência.”

quarta-feira, 15 de dezembro de 2010

A DOR DE UMA SEPARAÇÃO

Vivemos numa época em que basta estarmos acordados para que sejamos submetidos a um bombardeio impiedoso de informações por todos os lados. Consequentemente, bloqueamos e/ou perdemos muita coisa. Só isso pode explicar o meu completo e imperdoável desconhecimento de Rick & Renner. E, para minha profunda tristeza, descubro que, às vésperas de completar bodas de prata, eles estão em processo de separação! Segundo nota oficial, a separação foi amigável: "Tanto Rick quanto Renner guardam muito carinho e respeito um pelo outro", diz o comunicado.

Oh, Céus! E agora?

Nada de pânico porque, como diz Cleycianne*, Aleluia em Cristo!
Vamos poder curtir os dois juntos separadamente! (Aparente Incoerência em Cristo)

É que Rick Sollo (nome que o cidadão vai adotar em 2011) lançará, em janeiro, o mega-sucesso “Me Segura”.
Enquanto Renner (que não vai trocar de nome) seguirá o seu ungido projeto de música gospel com produção do Rick.

Hana Macantarava Suya!

* http://www.cleycianne.com

terça-feira, 14 de dezembro de 2010

CARTOONS (e cartunistas) INESQUECÍVEIS - 11

Acho que o Calvin é a criança que todos nós gostaríamos de ter sido.
Daí, talvez, o sucesso impressionante dessa tira criada em 1985 por Bill Watterson.

Watterson passou sua carreira tentando mudar o clima das tiras de jornais.
Ele acreditava que o valor artístico dos quadrinhos estava sendo prejudicado e que o espaço que eles ocupavam nos jornais estava diminuindo continuamente. Acreditando firmemente em sua mídia, declarou: “A arte não deve ser julgada pelo meio em que ela é criada”.
Coerentemente, recusava-se a comercializar suas criações, dizendo que colar imagens de Calvin e Hobbes em canecas, adesivos e camisetas à venda desvalorizaria os personagens e suas personalidades.

A última tira de Calvin e Hobbes foi publicada em 31 de dezembro de 1995. Aposentado, Watterson tem se dedicado à pintura. (Just like Grace Slick.)

segunda-feira, 13 de dezembro de 2010

BORDÕES DO BALÍPODO


Sou do tempo em que jogador de futebol não entrava em campo: “Adentrava o tapete verde”. Quando acabava o jogo era: “Fim de papo no Maraca”.
E por aí afora.

Tá certo que tudo muda, que o futebol tem um dialeto próprio, mas é claro que implico com as expressões e discursos dos nossos bravos narradores
(e comentaristas e analistas e especialistas e os próprios jogadores e o escambau) de hoje.

Jogador de futebol não reza: tem “Momento de fé” (Dedinhos apontados para o céu e expressão imbecilizada).
Não se concentra: “Está focado”.
Não tem técnico: tem “Professô”.
Não tem amigos: tem “Manos” ou “Empresários”.
Jogador não se comporta bem ou mal: tem “Atitude”.

Se o jogador que erra é do time ou do intere$$e do narrador, comentarista, o escambau: “Teve um descuido”. Se não: “Falha imperdoável”.
O cara desarma, avança e manda um tirambaço. Se o comentarista é intere$$ado...: “Golaço de Craque!!!”. Se não: foi “Falha do goleiro” ou “Falta no lance anterior” ou “Me pareceu que ele levou com a mão”, etc, etc.

Torcedor não torce mais: fica “Apreensivo com os nervos à flor da pele”.
Não tem mais revanche: tem “Jogo de 180 minutos”.
Não tem mais “Melhor de Três”: tem “Playoff”.
Não tem mais lateral: tem “Ala”.
Não tem mais passe pra gol: tem “Assistência”. (Essa é de matar!)

E não tem jeito: a gente espuma de raiva, ameaça chutar a televisão, mas, a cada jogo, estamos lá: apreensivos com os nervos à flor da pele.

sexta-feira, 10 de dezembro de 2010

SEMANA WOODSTOCK - 6

David Crosby largou o The Byrds após ter uma música recusada; Stephen Stills foi guitarrista do Buffalo Springfield até a banda acabar em 1968; Graham Nash largou o The Hollies após ter “Marrakesh Express” recusada (sendo posteriormente o primeiro sucesso do CSN seguida da Suíte Jude Blue Eyes) e Neil Young estava de bobeira quando foi chamado para ser o quarto integrante do CSN.

Pra variar, idas e vindas, acaba não acaba, carreiras solo em paralelo, enfim, o de sempre. O que não é de sempre é o som deles. Único.

Woodstock foi a segunda vez que tocaram em público.
Estréia ruim, hein?



quinta-feira, 9 de dezembro de 2010

SEMANA WOODSTOCK - 5

Formada em 1965, a banda Jefferson Airplane foi a única a tocar nos três grandes festivais dos anos 60: Monterey, Woodstock e Altamont. Teve incontáveis trocas de músicos, empresários e produtores, teve sucesso mundial e teve Grace Slick, essa gracinha chapadaça.
Diz a lenda que Jim Morrison (The Doors) estava pra lá de Bagdá nos bastidores de um concerto do Jefferson Airplane em Amsterdan. Dançou até desmaiar, foi socorrido e a Grace Slick, com peninha, deu pra ele por um bom tempo. Aliás, além de cantar - e muito - ela era também muito dadivosa e criativa. Colega de sala de Tricia Nixon, foi convidada para uma festa na Casa Branca. Seu plano era colocar LSD na bebida do presidente Nixon. Não passou nem da porta. Foi barrada pela segurança.
Em 1974, o grupo virou Jefferson Starship.
Com sérios problemas de álcool e drogas, Grace Slick foi saída em 1978 porque doidaça, durante um show na Alemanha, gritava para a platéia: -“Quem ganhou a guerra?” entre outras delicadezas.
Sobreviveu. Hoje, aos 71 anos, dedica-se à pintura.

quarta-feira, 8 de dezembro de 2010

SEMANA WOODSTOCK - 4

Carlos Humberto Santana de Barragan (1947) nasceu em Autlan de Navarro, Jalisco, Mexico (onde hoje é nome de rua e de praça).
Seu primeiro álbum foi lançado imediatamente depois de Woodstock (ago/69)
e em janeiro de 70, “Evil Ways” já estava no topo da parada americana.
No final do ano, o segundo disco Abraxas com “Oye Como Va” e “Black Magic Woman” foi direto para o topo e vendeu mais de 5 milhões de cópias.
Entre os mais de 80 músicos que tocaram com ele, destaque para Wayne Shorter (Tour em 1988) e John McLaughlin (Tour 1973).

Nesse vídeo (safado) o destaque é Michael Shrieve, baterista, aos 20 anos, piradão. Mas, o melhor mesmo é o carinha tocando triângulo na platéia.

terça-feira, 7 de dezembro de 2010

SEMANA WOODSTOCK - 3

O Creedence Clearwater Revival começou em 1959 com os irmãos John (guitarra) e Tom Fogerty (guitarra) mais Stu Cook (baixo) e Doug Clifford (bateria). Mas só em 1967 adotaram o nome; a partir da junção de Creedence (um amigo de Tom chamava Creedence Nubal) com Clearwater (uma cerveja da preferência deles). Fizeram sucesso de montão e acabaram em 1972.

Dos quatro, John Fogerty seguiu a mais bem sucedida carreira solo.
Segundo a lenda, John declarou que nunca mais tocaria os sucessos da banda em um show solo. Isso foi até 1985, quando Bob Dylan e George Harrison convenceram-no de que ele deveria tocar seus antigos sucessos novamente. Harrison teria dito que: “Se você não fizer, todos vão pensar que ‘Proud Mary’ é uma música da Tina Turner".

Nesse vídeo a seguir, o melhor é a encarada do Doug Clifford no John Fogerty ao final da música. As teorias são várias...

segunda-feira, 6 de dezembro de 2010

SEMANA WOODSTOCK - 2

The Who: Roger Daltrey - voz, Pete Townshend - guitarra/voz , John Entwistle - baixo e o maravilhosamente alucinado Keith Moon na bateria.

Em 1969, Pete Townshend finalizou Tommy que ganhou, em 1975, versão cinematográfica de Ken Russell com Oliver Reed, Ann-Margret, Jack Nicholson e um time de estrelas do rock como o próprio Who, Tina Turner, Elton John e Eric Clapton.

Sobre Woodstock, Roger Daltrey declarou: “The thing that saved us was the sun coming up. When I sang 'See Me, Feel Me' the sun peeked over the back of the crowd. It was the best light show we could ever have had”.

E Pete Townshend, há algum tempo, quando perguntado sobre como fazia aquele movimento rotatório com o braço direito, respondeu singelamente que gostava de jogar boliche.


domingo, 5 de dezembro de 2010

SEMANA WOODSTOCK

Visando preservar nossos sensíveis ouvidos durante essa época natalina, vamos à Semana Woodstock.

Começamos com Country Joe bradando contra a guerra do Vietnam no que foi o maior evento de sexo, drogas & rock’n roll da história do planeta.


sexta-feira, 3 de dezembro de 2010

DEGUSTANDO A DOMÉSTICA

Wilsinho e Vitinho, desde crianças, eram amigos complementares. Ou seja, Wilsinho era esperto, atirado e Vitinho, tímido, se deliciava com as façanhas do amigo.

Quando Wilsinho estava ali pelos 14 anos, a mãe dele contratou a Zenaide para as nobres funções da cozinha, limpeza, etc. Ocorre que a Zenaide era um monumento e o menino foi à loucura. A mãe do Wilsinho, num deslize muito comum às mães em geral, se recusava a ver que o filho já não era nenhum bebê.

-Vitinho, peguei um lance da Zenaide no tanque. Ela abaixou pra pegar uma roupa, rapaz, que coxas! E calcinha preta!
-Hmmm...

O pai do Wilsinho trabalhava muito, a mãe estava ocupada com a filha mais nova, a Zenaide ficava pra lá e pra cá e o Wilsinho não saía do banheiro.

Durante o recreio, atualizava o amigo:
-Dei um jeito de cruzar com ela no corredor. Uma esfregadinha mais assim, ela riu. É safada. Não tem erro. Vou comer, Vitinho!
-Hmmm... Mas, onde?
-Sei lá. Vou dar um jeito.

A Zenaide, além de ser um monumento, não valia a bóia que gastava. Era safada mesmo, fogosa e, vendo que o pai do Wilsinho tinha mais o que fazer, depois da esfregada no corredor resolveu investir no garoto. Afinal tinha tempo livre e as saídas do fim de semana eram pouco pra ela.

O pátio da escola estava pequeno pra ele. Peito estufado, triunfo estampado no rosto, sorrisinho maroto. Vitinho, quando viu o amigo chegando, não teve dúvidas:
-E aí, comeu?
-Comi! (Wilsinho não era dado a rodeios)
-Hmmm... Conta, como é que foi?
-Ontem de tarde mamãe levou a Carol pra tomar vacina e eu vacinei a Zenaide!
-Hmmm... Onde, onde?
-No quarto dela. Ela estava no tanque, pensei “é agora ou nunca”, cheguei por trás e tasquei um beijo na nuca. Ela já virou me arrastando pro quartinho. Bom demais...!
-Hmmm... Que mais, que mais?
-Nada. Tinha que ser rapidinho, né? Só não gostei da camisinha. Apertada...

Passou o tempo e o Wilsinho, além do melhor bife, degustava regularmente as carnes da Zenaide. Até que um dia, na falta de melhor assunto, o Vitinho perguntou:
-E aí, continua traçando a Zenaide?
-Parei.
-Ué, por que?
-Ela era gostosa, coisa e tal, mas eu não agüentava mais aquele arzinho dela.
-Como assim?
-Ah, sabe, aqueles olhares de “nós e o nosso segredinho, hein?”. Aí armei uma arapuca, a mamãe caiu e mandou ela embora.
-Você é doido!
-Que nada. Já tô de olho na ‘do Carmo, conhece? Lá do vizinho...

Definitivamente o Wilsinho já estava crescidinho...

quarta-feira, 1 de dezembro de 2010

"OCUPAÇÃO DO ALEMÃO" É TOMAR CERVEJA QUENTE E COMER CHUCRUTE

I love Rio (original pracacete), cartazes pela paz, missas, abraços, politicagem, analistas, especialistas, nuncanahistóriadessepaís, bope, tropa de elite, marinha, exército, estratégia, inteligência, megaoperação, UPP e tudo mais.
E daí?

Algum figurão preso?
Algum juiz, deputado, vereador, alguma “otoridade” em cana?
Algum chefão real capturado?

"Já prendemos a mulher do Marcinho VP, do Elias Maluco, do Isaías do Borel e a do Polegar. A mulher do Dinho Porquinho já é considerada foragida da Justiça."
Chefe da Polícia Civil do Rio de Janeiro, Allan Turnowski.

Então, tá.

terça-feira, 30 de novembro de 2010

MANUAL RÁPIDO DE CRIAÇÃO PUBLICITÁRIA

Seu cliente é um banco? A resposta é: amor. Os bancos nos amam com paixão, estão do nosso lado até na hora de ir ao banheiro, nos apóiam, amam, amam e amam. Fundamental a locução emocionada e roucomorna.

Seu cliente é desodorante ou creme dental ou escova de dentes? A resposta é: tecnologia. Nossos suvacos e dentes agora são protegidos pela alta tecnologia.

Seu cliente é SUV? A resposta é: regravação de música dos anos 70, imagens babacas e repetitivas. Com muita lama espirrando.

Seu cliente é shopping ou supermercado? A resposta é: compras geram cupons para sorteio de carro. O carro depende do shopping ou do supermercado. Se for fuleiro, é Fiat. Se for classe A, é BMW, por aí.

Seu cliente é mineração? A resposta é: cidadania, consciência e outros cinismos no gênero. Sempre, com imagens verdes de crianças verdes e famílias verdes. Com locução piegas. E verde.

Seu cliente é cerveja? A resposta é: futebol, samba e mulher pelada.

Seu cliente é varejo? A resposta é: ignora, finge que não é com você. Se não tiver outro jeito, gritos.

sexta-feira, 26 de novembro de 2010

FINESSE

Em 10 de dezembro de 2009, no Kennedy Center for the Performing Arts, foram homenageados Robert DeNiro, Mel Brooks, Bruce Springsteen, Grace Bumbry e Dave Brubeck.
Pompa e circunstância, discurso de Barack Obama destacando a importância de cada um no cenário artístico americano, platéia seleta, enfim, tudo aquilo que eles fazem com total categoria.
O melhor ficou para a apresentação em homenagem ao Dave Brubeck.

(Valeu, Ângela.)

quinta-feira, 25 de novembro de 2010

VIAJANDONAS

Como ensinava o inesquecível Stanislaw Ponte Preta, existem coisas que te enchem o saco sem que você perceba. Foi o que aconteceu quando comecei a me incomodar com a quantidade de mulheres rebocando estufadas maletinhas pela rua.
(Katzo! Pra onde viajam tanto essas mulheres?)

Conversando com quem entende, fui informado que é moda, que é prático, etc.
Agora, “botando mais reparo”, até que é divertido assistir esses projetinhos de executivas, sempre com as carinhas de ocupadérrimas, pra lá e pra cá, puxando as maletinhas como se estivessem levando o cachorrinho pra fazer xixi.
Ridículas, tadinhas.

terça-feira, 23 de novembro de 2010

IDIOTICE NÃO É EXCLUSIVIDADE HUMANA

Cobra canibal come o próprio
rabo e fica entalada
Aconteceu em Sussex, no Reino Unido, segundo o site MSN.
Acabou sobrando para a clínica veterinária, que teve que resolver o caso. Rob Reynolds, o veterinário, deslocou a mandíbula da cobra para ajudar a soltar o rabo. Segundo a clínica veterinária, esta cobra é da espécie Lapropeltis getulus, conhecida como cobra real californiana.


Ou Retardéptil Imbecilis. Por aí...

segunda-feira, 22 de novembro de 2010

É CLARO QUE...

... Assisti ontem a versão “rêdigrobo” do Paul McCartney.
E é claro que fiquei com uma estranha sensação de “tá faltando alguma coisa”. Apesar do baterista gordinho ser um show à parte, da banda ser competente, etc, pra mim é esquisito ver o cidadão (em forma, diga-se de passagem) falando “Obrigadôu Paulishtashs” entre outras babaquices que empolgam a platéia e cantando músicas que fazem a gente lembrar de tempos melhores.

Então, já que não achei o original, segue vídeo dele muito melhor acompanhado por Eric Clapton, Mark Knopfler e o Phil-arroz de festa-Collins.

sexta-feira, 19 de novembro de 2010

E LÁ VEM O NATAL...


Tempo de confraternização, encontros familiares e, principalmente, tempo de COMPRAR!
É, angustiado leitor, é hora de comprar, comprar e comprar. É comprando que esquecemos nossas diferenças, apaziguamos desavenças e nos sentimos em harmonia com o cosmos. (O resto é só aquela hipócrita rezinha - de mãos dadas em volta da mesa - antes de atacar as rabanadas.)

Então, capitalistas que somos, também vamos nessa onda:


COMPRE, COMPRE, COMPRE SEM PARAR!

ANTECIPE SUAS COMPRAS!

Clique aí no “HAJA LOJA”, escolha seus presentes e compre sem sair de casa!

Tudo baratinho! Visite nossa loja! Preços incríveis! Ofertas imperdíveis!

(Será que esqueci algum clichê?)

quinta-feira, 18 de novembro de 2010

TESTE

Quem disse o texto a seguir – e quando?

“A política é como um leito de um rio. Se a gente não for um desmancha ambiente, se a gente deixa a água correr tranquilamente, tudo vai se colocando de acordo com o que é mais importante. Se as pessoas tentam de forma conturbada mexer na política pode não ser muito bom”.

quarta-feira, 17 de novembro de 2010

BOM DE VER

É claro que não estou achando a menor graça no campeonato brasileiro.

Então, resta ver alguns jogos que prometem.
E esse Brasil X Argentina prometia. Messi, Ronaldinho Gaúcho, Neymar, etc. Até que foi um joguinho bom, lá e cá.

Curiosidades:
1. Há pouco tempo, podíamos considerar Julio César, Lúcio e Juan, como o melhor triângulo de defesa do mundo. Hoje, Vitor, David Luis e Tiago Silva passam a mesma tranqüilidade.
2. Ronaldinho Gaúcho foi recebido com honras, incluindo aí, Messi. No final do jogo, no caminho dos vestiários, uma boa conversa entre os dois mostrou o respeito que todos ainda tem pelo dentucinho.
3. O que faz o Robinho nessa seleção?

De resto, Messi 1 X 0 Brasil. Não se pode bobear com jogadores desse nível.
Mas, o Brasil foi bem e, melhor, o Ronaldinho também foi bem.

Pra finalizar, haja fígado pra aguentar expressões do tipo "centroavante de ofício", "volante de contenção", "projeto", "jogador de referência", "falta de agudez" (!?) e outras babaquices constantes nas (argh!) transmissões esportivas.

segunda-feira, 15 de novembro de 2010

E O IBN* NUNCA PARA DE CRESCER

Nome do filho de Preta Gil é Francisco.

Zélia Duncan e outras famosas aproveitam feriado para correr no Rio.

Malu Mader e Tony Bellotto acenam para paparazzo em atitude anti-celebridade.

Suzana Pires samba com Viviane Araújo no Salgueiro.

Lília Cabral aproveita o sábado para experimentar chapéus em loja no Leblon.


*Índice de Babaquice Nacional

sexta-feira, 12 de novembro de 2010

EQUILÍBRIO



Pimenta que não arde é que nem mulher que não bebe.
Não tem a menor graça.

Já a pimenta que arde muito é que nem mulher que
fica de porre.
Duro de aguentar.

quinta-feira, 11 de novembro de 2010

SPIN

A vista vai ficando turva, o zumbido nos ouvidos vai aumentando, as gengivas produzem um torturante striptease, a pele vai enrugando, os pulmões já não dão conta de um lance de escadas, as juntas te lembram constantemente que você deveria (argh) fazer exercícios.
A impressão é que tudo já foi dito, você já não lê - só relê, as conversas parecem saídas de um filme antigo, os acontecimentos dão sempre a sensação de dejavu, o desânimo te ataca regularmente, as poucas alegrias são atreladas a desconfortos vários.
Você faz graça mas não acha graça, você fala mas não acredita no que diz, você age mas não vê resultado nas suas ações, você se sente à margem de tudo e de todos, você engana, finge, faz de conta, mas sabe que o seu papel nessa peça ficou pra lá de secundário.
Você se agarra à fé ou a qualquer coisa que possa te tirar da cabeça esse constante sentimento da aproximação inexorável do fim das férias.
Aí, chega ao planeta o ser humano de número 6.853.400.384. Para o resto da humanidade é só mais um. Mas, é a sua neta. Você estica a coluna, olha além do horizonte e, surpreso, vê as férias se desenrolando feito um tapete vermelho à sua frente rumo a uma nova perspectiva.
Esquecido de todas as mazelas, respira fundo e celebra o vidão que Deus te deu...

quarta-feira, 10 de novembro de 2010

PIAUÍ, PIAUÍ...

O cidadão já leva fama e ainda resolve estrelar uma campanha do PINTOS SHOPPING com o slogan “Tudo o que você mais gosta no lugar que sempre quis”.
Ou é muita grana ou é síndrome de Rick Martin. Ou, quem sabe, ambos.

Duvida? Olha aqui: http://180graus.com/geral/cheio-de-misterios-mas-com-gala-global-pintao-abre-as-suas-portas-376077.html

(Valeu, WV)

terça-feira, 9 de novembro de 2010

SUGAR SUGAR

The Archies foi um grupo formado por Don Kirshner (que também inventou The Monkees) e alcançou façanhas dignas de destaque.
O grupo foi formado para dar voz ao desenho animado do mesmo nome.
Seus componentes nunca apareceram - por vários anos foram um grande “segredo”.
Sugar Sugar ficou, durante oito semanas, no topo da parada americana numa época (1969) em que tínhamos, só pra ficar nos principais, Beatles, Rolling Stones, Jackson 5, Elvis e Stevie Wonder.
Ron Dante, o meloso vocalista do grupo, posteriormente produziu Mandy para Barry Manilow, Heartbreaker para Pat Benatar e está por aí até hoje.
A letra, pra variar, é completamente retardada.
Mas a música embalou “dicumforça” a galera acima de 50...

segunda-feira, 8 de novembro de 2010

VIVENDO E APRENDENDO A JOGAR

Para você incauto leitor que está aí, cheio de gás, batalhando no tal do mundo corporativo, seguem algumas rápidas traduções cujas, espero, poderão te ajudar nessa árdua missão.

O profissional com a inteligência lógico matemática é aquele que se sobrepõe aos outros por apresentar várias soluções para um determinado problema.
(Palpiteiro inconsequente.)

O profissional que tem empatia, influência social, facilidade para se comunicar e se relacionar com as pessoas, sempre terá o seu espaço garantido em qualquer empresa.
(Puxa saco.)

Em estudo feito na Austrália observou-se que homens altos tendem a receber salários maiores.
(Baixinhos, sifu.)

Cuidado ao aventurar-se em tarefas que demandem mais do que seu esforço rotineiro.
(Preguiçoso.)

sábado, 6 de novembro de 2010

AQUECIMENTO NATALINO

Reza a lenda que nos idos de 2006 o Corriere Della Sera, tradicional jornal italiano, publicou o resultado de uma enquete feita com crianças sobre o “Gesú Bambino”. Dada a minha natural desconfiança em relação a esses estranhos seres e a tudo que chega por e-mail, tenho dúvidas sobre a veracidade.
De qualquer maneira, as frases são ótimas.

“Querido Menino Jesus, todos os meus colegas da escola escrevem para o Papai Noel, mas eu não confio naquele lá. Prefiro você.” (Sara)

“Querido Jesus, por que você não está inventando nenhum animal novo nos últimos tempos? A gente vê sempre os mesmos.” (Laura)

“Querido Jesus, o padre João é seu amigo ou você conhece ele só do trabalho?” (Antonio)

“Querido Jesus, talvez Caim e Abel não se matassem se tivessem um quarto pra cada um. Com o meu irmão funciona.” (Lorenzo)

“Querido Jesus, eu gosto muito do padre-nosso. Você escreveu tudo de uma só vez, ou você teve que ficar apagando? Qualquer coisa que eu escrevo eu tenho que refazer um monte de vezes.” (Franco)

“Querido Jesus, em vez de você fazer as pessoas morrerem e aí criar novas pessoas, por que você não fica com as que já tem?” (Marcello)

“Querido Jesus, você é invisível mesmo ou é só um truque?” (Giovanni)

sexta-feira, 5 de novembro de 2010

O REINO DAS CORES TUPINIQUIM

Dilma toma banho de mar na praia de Itacaré

Folha.com

A Folha flagrou nesta sexta-feira a presidente eleita, Dilma Rousseff (PT), na praia de Itacaré, na Bahia. Ela tomava banho de mar vestindo um maiô
escuro
e estava acompanhada de dois assessores e um agente da Polícia Federal. O grupo estava em dois quadriciclos vermelhos e se deslocava pela orla. Dilma ficou cerca de 15 minutos no mar e, depois, caminhou por mais 15. Ela saiu da água enrolada numa canga azul e depois vestiu uma saída de banho cor de rosa. Antes de ir embora no quadriciclo, ela descansou embaixo de um toldo azul.

(Bem a propósito, a palpitante matéria primaveril é assinada por Ana Flor e Matheus Magenta...)

quarta-feira, 3 de novembro de 2010

VERSÃO BRASILEIRA

Um grupo de 33 mineiros brasileiros fica preso em uma mina, da MINASBRAS, a 700 metros de profundidade.

1) O Governo brasileiro cria uma comissão supra-partidária para iniciar o resgate, incluindo 25 membros da situação e 19 da oposição. Cada membro com direito a 5 assessores e dois secretários. Os trabalhos atrasaram três meses, porque não houve acordo para nomear o presidente da comissão.

2) Como as despesas não estavam previstas, o Governo criou uma CPMS (Contribuição Provisória para Mineiros Soterrados), que, embora provisória, tem vigência prevista até 2020.

3) O Chile ofereceu-se para emprestar os equipamentos utilizados no salvamento daquele país, mas a carga ficou retida na alfândega brasileira por mais de três meses. O chefe da fiscalização somente os liberou após o pagamento de um DARF emitido pela RFB no BB, como estes estavam em greve, esperaram acabar a greve, após promessa do governo em aumentá-los.

4) Depois, os equipamentos ficaram parados na estrada brasileira por quase dois meses, pois o MST havia feito uma invasão e bloqueado a rodovia.

5) O consulado brasileiro, em Santiago, demorou dois meses para conceder visto de entrada no Brasil aos chilenos operadores do guindaste e da cápsula de salvamento, pois eles não puderam comprovar fonte de renda no Brasil.

6) Quando finalmente tudo foi "regularizado", o Sindicato Brasileiro dos Operadores de Máquinas entrou na Justiça com uma liminar proibindo o trabalho dos chilenos, pois eles não eram sindicalizados.

7) Como a Justiça brasileira é bastante ágil, a liminar foi "prontamente" derrubada em seis meses e foi permitido o trabalho dos chilenos.

8) Quando o guindaste desce a cápsula de salvamento, o cabo de aço se rompe, pois haviam comprado um cabo de terceira qualidade, vindo da China, embora a preço de euro.

9) Criou-se uma CPI para levantar as responsabilidades. Depois de quatro meses de discussão, acabou sendo arquivada pelo Conselho de Ética do Senado.

10) Finalmente, depois de dois anos e meio, chegou o dia do primeiro resgate.

SURPRESA! O primeiro resgatado é o único que ficou preso na mina, pois os outros 32 eram funcionários "fantasmas" da estatal MINASBRAS e nunca tinham entrado nela.

(Valeu, Henrique.)

segunda-feira, 1 de novembro de 2010

TROCARAM-SE AS MOSCAS

Torço muito para que o Supremo Baiacu da Nação* nos surpreenda.
E só.
O bom do final dessas eleições chatíssimas é, espero, ter uma folga dos “indignados” de plantão. Por pura curiosidade arquivei, do dia 4 ao dia 30 de outubro, todos os e-mails que recebi a favor e contra. Descontando os (muitos) repetidos, somei 210 mensagens sendo 149 contra a Dilma e 61 contra o Serra.
Uma coisa é inegável: a baixaria tucana foi impressionante enquanto os petistas se concentraram mais nos números e comparativos do governo Lula em relação a tudo. Parece mesmo que o Brasil não existia na era pré-Lula.
Esperteza deles, burrice tucana.
Mas infelizmente, no final, é tudo farinha do mesmo saco.
* copyright Edson Aran

sexta-feira, 29 de outubro de 2010

TIRADA

Adolescentes e crianças, gosto muito.
Fritas no azeite.

Mas, passando ontem pela rua, presenciei uma cena do tipo exceção que confirma a regra.
A mãe, já à beira do desespero, gritando com a adorável pentelhinha:
-Maria Luisa, EU NÃO ESTOU BRINCANDO!
E a Maria Luisa, num fiapo de voz, com a carinha mais lavada:
-Então começa a brincar...

Pano rápido.

quinta-feira, 28 de outubro de 2010

TÃO DE SACANAGEM?




Conmovedora vigilia en Plaza de Mayo tras el fallecimiento de Néstor Kirchner




Continuando na imprensa, olha a foto que o La Nacion colocou no site. Comovedora, mesmo!
(http://www.lanacion.com.ar/)

terça-feira, 26 de outubro de 2010

NO QUE PENSA A IMPRENSA?

Segundo o censo de 2007, o Brasil tem cerca de 185 milhões de habitantes.
Segundo informações um pouco mais recentes, nossos dez jornais de maior circulação somam, em média, 2 milhões e 100 mil exemplares por dia o que representa o espetacular percentual de 1,13% de habitantes que compram e/ou assinam jornais.

Desses dez jornais, quatro são considerados populares e apresentam manchetes do tipo:
Super - “Bancário é morto pelo namorado”
Extra - “Jovem arromba salão de beleza e é espancado por populares”
Meia Hora - “Traficante cornudo comandou chacina na Baixada”
Diário Gaúcho - “Guaíba: tráfico lidera ranking de mortes”

Cinco formam a chamada grande imprensa: Folha, Globo, Estadão, Zero Hora e Correio do Povo. O décimo é o Lance, jornal esportivo (entenda-se futebol).

Se somarmos os números da tal “grande imprensa”, chegaremos à média de 1 milhão e 100 mil exemplares diários que representam o incrível percentual de 0,6% da população. Tudo bem que esse número cresça uma vez que, com boa vontade, os jornais têm 3 ou 4 leitores por exemplar. Aí então, chegamos ao fabuloso percentual de 2,4% da população: mais ou menos 444.000 pessoas.

Pra que tanta conta? Só pra dar raiva. O Japão tem 128 milhões de habitantes e média de 70 milhões de exemplares de jornais vendidos diariamente para mais de 54% dos olhinhos puxados, mas arregalados.
Talvez se nossos barões da mídia impressa pensassem no que disse Max Frankel, ex-editor do New York Times, as coisas, por aqui, poderiam melhorar nem que fosse um pouquinho: “O jornalismo é uma arte narrativa que une o passado ao futuro, a causa à conseqüência; a função dos jornalistas é transformar a mera informação em conhecimento.”

segunda-feira, 25 de outubro de 2010

TICO MICO



Boas histórias sempre aparecem numa conversa de boteco. E nada melhor do que conversar com quem tem o que contar. É o caso do meu amigo Renê, criado na zona norte, numa época em que os bairros do Rio de Janeiro se pareciam com cidades do interior - tanto pelos costumes quanto pelo cotidiano.

A história:
Semana santa, a turma prepara o Judas para a malhação, boneco montado, cartazes provocativos em relação à vizinhança, tudo arrumado, resta fazer hora para, na madrugada, instalar o boneco num lugar estratégico.

Caem todos na noite, via sacra nos botecos e, lá pelas 4 da manhã, parada no Bob’s da Avenida Brasil para uma recarregada nas baterias. Mas, o que fazer com o Judas? Lembram de um velho carro abandonado numa rua próxima e depositam o boneco no banco traseiro. Vários cheeseburgers e milk-shakes de ovomaltine depois, é preciso buscar o boneco. O escalado é o Tico Mico cujo carrega esse apelido por ser igual ao parceiro do Peter Potamus - magrinho, desengonçado e solícito.

Lá vai o Tico Mico, a galera fica fazendo zona no Bob’s, volta o Tico Mico correndo feito louco, abanando os braços e gritando: “Ele falou comigo! O Judas falou comigo!!!”.
Vão todos ao local e descobrem que, ao jogarem o boneco no carro, não repararam que havia um mendigo dormindo no banco traseiro. O Tico Mico chegou e puxou o pé do mendigo achando que era o boneco. O mendigo rosnou “Larga o meu pé!” e o Tico Mico entrou em pânico.

Resultado: a mais inesquecível e bem humorada malhação de Judas em Bonsucesso...

sexta-feira, 22 de outubro de 2010

FREQUÊNCIA EM MÍDIA

Ou “media frequency” como preferem alguns (muitos) publicitários antenados com a matriz.
O fato é que essa equação vem sendo buscada há muitos anos sem maiores avanços uma vez que as variáveis são muitas e têm esse mau hábito: variar.

Tentando explicar, a frequência em mídia é um fator que procura medir quando o seu público para de registrar a sua mensagem. Pensando só em TV, quantas vezes o seu comercial precisa ser exibido para ter a compreensão e assimilação do seu público alvo?
Vamos supor que o seu consumidor, depois de assistir o comercial por três vezes numa semana, já entendeu, já decidiu e, mentalmente, bloqueia todas as outras vezes que assistir. A partir daí você, que programou muito mais do que isso, está simplesmente jogando dinheiro no bolso do veículo e seu retorno é zero.

É aí que entram as variáveis. Por exemplo, o famoso comercial do primeiro sutiã foi ao ar pouquíssimas vezes porque foi inovador, de alta qualidade e com consequente recall muito alto. Enquanto as campanhas de varejo, além de continuarem gritando como se o público fosse surdo, bobo ou as duas coisas, abusam da freqüência e da falta de criatividade.

Entretanto temos uma situação interessante acontecendo. As TV’s por assinatura e também algumas abertas de baixa audiência estão vendendo seus espaços comerciais como se fossem emissoras de rádio. Não importa o programa, a adequação, o target. Vendem “X” inserções por dia. O anunciante “esperto” e a agência que só pensa em faturamento imediato compram pensando que estão fazendo um ótimo negócio. Ignoram olimpicamente a raiva que podem provocar no público, a rejeição que o produto pode ter, etc. Importante é levar vantagem, certo? É claro que se essas agências e anunciantes fecharem as portas depois de amanhã a culpa, como sempre, é do governo.

Aí entra a parte interessante. Algumas agências e anunciantes, inteligentemente, aproveitam essa política (?) comercial e produzem excelentes campanhas que precisam de maior frequência para serem entendidas e assimiladas.
Exemplos atuais, a campanha do Xperia da Sony Ericsson (“Seu smartphone morreu...”) bem como as campanhas da Topper para o futsal e para o rugby. São perfeitas. Precisam de frequência para serem bem assimiladas e fazem tão bem feito que não cansam nem dão raiva.

Ou seja, se não temos como medir a coisa, vamos nos aproveitar dela...

obs.: Quem estiver com paciência e quiser ler mais um pouco sobre isso é só clicar aqui: FAZER PROPAGANDA NÃO É PRECISO

quinta-feira, 21 de outubro de 2010

A GORDINHA TEM BOROGODÓ?

Mulher troca marido por enteado e, depois, pelo melhor amigo dele
Dawn Smith, de 35 anos, estava casada com Andrew, de 38. Foi quando conheceu o filho do marido, de 18 anos, que voltara a ter contato com o pai após anos de separação. Meses depois, Dawn e Ben, o enteado, estavam tendo um caso. Dawn se separou de Andrew e passou a viver com Ben.
No último Natal, Dawn deixou Ben e o trocou pelo melhor amigo do enteado, Mark Donnison, de 20 anos.
Tudo começou a ruir quando Ben, ingenuamente, mostrou a foto de Dawn ao melhor amigo. Alguns dias depois, Dawn recebeu um torpedo de Mark.
"Nós nos encontramos e foi amor à primeira vista. Nosso primeiro beijo foi maravilhoso. Sabia que nós estávamos destinados a ficar juntos. Agora minha vida é perfeita", contou.

Ou será que ela é um $uce$$o...?

terça-feira, 19 de outubro de 2010

PENSAR CANSA?

Não tenho grandes simpatias pela Dilma, possível “Supremo Baiacu da Nação”, no dizer do Aran. Mas, é legítima candidata à presidência do Brasil e fim de papo.

Quanto a essa eleição, a internet, mais do que nunca, me espanta. Já falei diversas vezes que não acredito no tão propalado poder da tal da grande rede. As várias conclamações como panelaços, buzinaços, abaixo assinados que vão chegar no cu do judas e outras indignadas bobagens no gênero, nunca dão em nada e provam o que digo.

Mas, o que me surpreende mesmo é ver diversos e queridos amigos, todos com QI acima de 100, embarcando nas mais escabrosas correntes estilo Dilma Lésbica, Matadora de Criancinhas, photoshops mal feitos, etc.
(Talvez pelo PT ter dado como certa a vitória no 1º. turno, os tucanos deitaram e rolaram desde então.)
Só posso entender a confusão entre procurar analisar as propostas de governo (elas existem?) com a atitude de torcida organizada de futebol, como maniqueísmo bobo. No mais alto grau.

Me faz lembrar de uma reuniãozinha onde cometi a suprema asneira de comentar sobre a impressionante bobeira que assola muitas das melhores mentes quando estão na frente do monitor. Pessoas de comprovada inteligência repassando centenas de babaquices como “Ajuda pra Raquelzinha do Zimbábue”, “Microsoft e AOL dão dinheiro por e-mails enviados”, causam, em mim, a desconfiança que hipnotizantes raios cósmicos alienígenas podem nos atingir em cheio quando navegamos.

Ah, Margarida, pra quê! Quase fui escorraçado da sala, todos de cara feia vociferando pérolas como “Ah, mas nunca se sabe, né???”, “Que mal faz???” e muito mais.
Baixei o facho, nunca mais toquei no assunto e, hoje, faço cara de paisagem quando ouço comentários profundos sobre o Progesterex, a doença de Chagas no feijão e tantas outras idiotices.

Se neguinho acha que raciocinar dá mais trabalho do que repassar asneiras, é problema dele.

segunda-feira, 18 de outubro de 2010

WALTER FRANCO

Poucas pessoas sabem quem é Walter Franco, algo bem normal em um país que desconhece quem busca um caminho totalmente pessoal e não se prende às armadilhas da indústria musical.

Mas, esse paulistano nascido em 6 de janeiro de 1945, foi um dos principais expoentes da música brasileira dos anos 70, ao lado de Jards Macalé, Itamar Assumpção, e por que não, Arnaldo Baptista.

Desde jovem, Walter mostrou tendências artísticas e por isso resolveu estudar teatro, onde compunha trilhas para algumas peças, além de se apresentar em festivais na virada dos anos 60 para os 70. Conseguiu alguma projeção quando Geraldo Vandré defendeu sua canção "Não se Queima um Sonho", entre outras.

Porém, seu primeiro momento solo aconteceu em 1972, no Festival Internacional da Canção, da Rede Globo, quando tocou "Cabeça". A confusão começou quando o júri formado por Nara Leão, Roberto Freire, Rogério Duprat, Júlio Medaglia e Décio Pignatari, resolveu premiar aquela música estranha, experimental, com poesia cortada, com o primeiro lugar, apesar das vaias da platéia.

Se a platéia odiou, o que dirá a conservadora emissora, nos anos de chumbo da ditadura. O resultado é que o júri foi demitido. Mas, o momento de tensão ficou ainda maior, quando Roberto Freire foi ao palco e denunciou toda a armação, junto com o grupo Pholhas. Acabou sendo preso por isso.
(fonte: http://www.beatrix.pro.br/
)


Obs.: Em fins de 70, eu e a avó da Maria Antonia, assistimos um show do Walter Franco num teatrinho em Copacabana. Estavam ele, a banda, nós e mais três gatos pingados. Mas, como o cidadão “não sabia bem” o que estava acontecendo, o show rolou como se fosse no Carnegie Hall... Bons tempos!

Segue vídeo dele dando uma canja para o filho Diogo - em “Respire Fundo” - durante um show no SESC Pompéia em maio de 2010.

sábado, 16 de outubro de 2010

DEPOIS DO VÉRTICE DA NOITE

Família grande tem essas vantagens. Gabriela Marcondes, cuja não conheço, é minha prima e, claro, boa de bola.
O livro (segundo dela) está à venda na Livraria da Travessa.

Corram!

Segue pequeno - porém valioso - exemplo do que os espera:


vértice

relembro a queda
em quatro movimentos

na ponta dos dedos
posso ainda sentir o quase
equilibrando-se num precário futuro

fecho a porta e as janelas
a casa se foi
vou
leve como quem conhece o amor

nenhum pássaro
sabe como é voar com os pés no chão
eu sei

quinta-feira, 14 de outubro de 2010

SEM ESCAPATÓRIA

O fato: o presidente do Chile, Sebastián Piñera e seu ministro da mineração, Laurence Golborne montaram acampamento na mina de San Jose e não arredaram pé até o fim das operações de resgate dos 33 soterrados.

As interpretações dos “analistas internacionais”, “cientistas políticos” e outros oportunistas de ocasião: “Ele se aproveitou do fato para aparecer na mídia”; “Não deveria fazer isso”; “Está faturando imagem às custas do acontecimento” e por aí afora.

Se ele tivesse ficado “em palácio”, certamente seria xingado de insensível, distante do povo e outras besteiras do gênero. Ou seja, se correr o bicho pega, se ficar o bicho come.

É mais ou menos como as interpretações eleitorais. Cada um só vê o que quer ver e não se dá ao trabalho de olhar para o outro lado.

REFLEXÕES CRISTALINAS

Eleição não é futebol. E já vou logo avisando: não conheço o autor.
É longo, vocês não vão ler mesmo, mas fica o registro.

Em tempo: como já disse para um amigo, acho perfeita a frase que, dizem, é do Delfim Netto: "É preciso que o PT chegue logo ao poder pra ficar igual a nós."
A decepção foi grande. Mas, por que negar o que de bom foi feito?

Há alguns anos, acho que todos vão se lembrar, no Rio de Janeiro, quatro rapazes de classe média alta estavam voltando de carro da “balada”, bastante animados com a farra, quando viram uma mulher parada num ponto de ônibus. Pararam o carro, desceram e começaram a se divertir batendo nela. A moça resolveu prestar queixa na delegacia, e disse que era uma empregada doméstica. Os rapazes foram convocados a depor. Em sua defesa, alegaram que não tiveram a intenção de agredir uma doméstica – eles pensavam que era uma prostituta.

Até aí já teríamos elementos suficientes para uma grande discussão. O que leva mauricinhos de “boas famílias”, que tiveram “de tudo”, a sentir prazer em espancar uma pessoa? E o que leva a pensar que, se fosse uma prostituta, tudo bem, prostitutas são seres humanos que merecem apanhar?
Para piorar, vieram os pais, empresários, com seus carrões dirigidos por motoristas particulares, chegando na delegacia com seus advogados cheios de termos técnicos. Um dos pais não parava de dizer que seria um absurdo colocar aqueles jovens, de boas famílias, de berço, que faziam faculdade, na prisão, junto com os marginais. Iria acabar com a vida dos coitados. Só porque bateram numa empregadinha qualquer...

O que está em jogo aí? Muito mais do que a ação de jovenzinhos ricos cujo prazer é bater nos outros, de preferência mulheres, sozinhas, e pobres, e sabendo que serão protegidos pelo dinheiro dos pais. Estão em jogo os valores das pessoas, as mentalidades. Gente que acha que existem seres humanos melhores que outros. Que nas favelas estão os marginais que merecem a prisão. E nas “boas famílias” da gente “bacana” estão pessoas de bem, de berço, que vão à missa, até fazem caridade, e que infelizmente de vez em quando cometem um deslizezinho ou outro, como espancar domésticas ou (se lembram disso?) queimar índios e se defender dizendo que achavam que eram mendigos.

Pois agora, em época de eleição, vivemos novamente um choque de valores, de mentalidades. Está em jogo muito mais do que a escolha de um ou outro candidato. Vemos isso não tanto pelas propostas dos próprios candidatos – mas pelos spams e correntes espalhados pelos eleitores na internet e os argumentos usados para a decisão do voto.

Vamos a eles. O primeiro, mais importante, são os vários e-mails que falam de Lula como o analfabeto, o ignorante, que nem sabe falar direito. Tais críticas são o espelho perfeito do pai do mauricinho que escapou da prisão. Trata-se de um pensamento que considera um absurdo que uma pessoa pobre, que veio do nordeste, que foi operário, ocupe a presidência do país. É o típico pensamento daqueles que dizem que não são racistas, e justificam dizendo que tratam muito bem o porteiro, a empregada doméstica. Tratam muito bem, sim, desde que eles fiquem no lugar deles – nada de tentar fazer faculdade, de tentar conseguir um emprego melhor, quererem ser chefes. Em suma: a idéia de que existem seres humanos melhores do que outros, independente dos seus atos.

Segundo: gente que diz que Dilma é terrorista. Bem, quem diz isso deve conhecer muito pouco de história. Sabem quem mais já foi definido como “terrorista”? Mandela! Podem conferir na wikipedia. Gandhi! Se a palavra existisse antes, provavelmente os romanos teriam chamado Jesus de terrorista também. Por outro lado, sabem quem já foi denominado “inimigo dos terroristas”? George Bush! Os ditadores militares que ocuparam a presidência do Brasil e de outros países da América Latina e instituíram a tortura como prática comum. Até Hitler! Ou seja, ao vermos alguém ser chamado de “terrorista”, é importante saber quem está chamando e o que realmente a pessoa fez. O regime vergonhoso do Apartheid identificou como terrorista um homem que lutou pela igualdade, justiça e paz. O mesmo fez a ditadura brasileira com os militantes que lutavam por um outro Brasil.

Mais um? O pessoal que agora inventou uma corrente a favor da liberdade de imprensa. Tenha dó! Quer dizer que alguém acha que vivemos numa plena liberdade de imprensa, em que algumas poucas famílias são donas das emissoras de TV, rádios, jornais e revistas? Os jornalistas todos sabem que, dentro das redações, é proibido dizer certas coisas, ferir interesses dos anunciantes, denunciar a corrupção de certas empresas... Essa semana tivemos um bom exemplo. A psicanalista Maria Rita Kehl foi demitida do Estado de São Paulo após escrever um texto em que apontava pontos positivos do Bolsa Família.

Na verdade, o que vem ocorrendo é o contrário. Nunca houve tanta liberdade de imprensa, para se denunciar e divulgar atos corruptos. É tão engraçado ver as pessoas falando de mensalão como se fosse uma razão para não votar no PT. Esquecem que o tal mensalão teve origem no PSDB de Minas com o Eduardo Azeredo. E mais: alguém acha mesmo que antes não havia corrupção e só agora é que há funcionários do governo e políticos corruptos? Por favor! Na época da ditadura a corrupção andava solta, só que ninguém podia divulgar nada. E mesmo agora. O Estado de São Paulo se declarou, num editorial, a favor de Serra. Alguém acha que esse jornal tem interesse em divulgar fatos contrários ao interesse do PSDB? Pior faz a Veja, que posa de “imparcial” e tem uma equipe de redatores que reescreve todas as matérias, eliminando qualquer coisa que possa ser positiva para o governo Lula ou o PT. Na Veja, até eclipse solar é culpa do PT! Grande liberdade de imprensa...

Algumas pessoas, nessa época de eleição, alegam que querem argumentar. Pois vamos argumentar! Vamos comparar os indicadores da economia, da educação, da saúde, da distribuição de renda, da estabilidade do Brasil e sua visibilidade no exterior. Em tudo isso, o governo Lula vence o de FHC.
Aí começam a aparecer esses outros argumentos: que Lula é analfabeto, Dilma é terrorista e lésbica, só no governo Lula houve corrupção e a liberdade de imprensa está para acabar. Não são argumentos relacionados com competência para conduzir um país nem com propostas de governo. Antes, são manifestações do mesmo tipo de mentalidade de quem acha que os coitados dos meninos de classe média alta não podem agora perder a vida só porque exageraram um pouquinho e espancaram uma doméstica. Uma doméstica! Foi mal! Era para ser uma prostituta. Dá um dinheirinho para ela para compensar e a coisa morre aqui...

Carlos Alberto Ávila Araújo
Em resposta aos vários e-mails que tenho recebido com pedidos para não votar em Dilma (e piadinhas “inocentes” sobre Lula e o PT).

quarta-feira, 13 de outubro de 2010

GOL INAUGURA NOVA ROTA PARA O CHILE


A tal da cápsula de resgate dos mineiros do Chile é uma ode à claustrofobia. Cinqüenta e poucos centímetros de diâmetro, correias atando o corpo e várias outras amarrações.

Só de pensar, já dá aflição. Mas, para eles não deve ser grandes coisas. Afinal os caras trabalham a 700 metros de profundidade, ficaram soterrados mais de dois meses e, pra sair desse sufoco, os 15 minutos dentro da cápsula devem ser mais agradáveis do que voar de Gol.
E sem barrinha de cereal...

Atualização 22h:
Acabou. Ou quase porque, afinal, ainda tem meia dúzia de “socorristas” lá embaixo que não dão audiência.
De qualquer maneira, entre mortos e feridos salvaram-se todos e, aposto, breve teremos a reedição de filme-catástrofe-com-final-feliz que vai dar emprego pra um monte de atores e atrizes encostados em Hollywood. Vai ser que nem filme de guerra da década de 60.
Se bobear vira série.

segunda-feira, 11 de outubro de 2010

JOHN LENNON - SETENTÃO


É o seguinte: existe rock e existem (ou existiram) os Beatles. Nenhum conjunto chega perto em nenhum aspecto.

Mas, tem sempre um entretanto: pra mim, o John Lennon era um grande pentelho. “Imagine” e “Happy Christmas” são de uma pieguice inenarrável, “Woman is the Nigger of the World” é outra enorme babaquice panfletária e dispensável - assim como aquela japonesa dele que sempre foi uma chatura.

Tá certo que sem ele não haveria Beatles e o planeta teria outra trilha sonora.
Então, resta agradecer o fato dele ter saído de cena para entrar na história. Porque se não, com certeza, o cidadão estaria por aí enchendo o saco, fazendo música pra plantinha, greenpeace e outras pentelhices politicamente corretas.

sábado, 9 de outubro de 2010

500!

Engraçado como a vista se acostuma e a gente para de ver o entorno.
Só agora me dei conta que o post de ontem foi, somando 226 de 2010 com 274 de 2009, o de número 500 (Quingentésimo, olhaí que estranho!).

Mais estranho é pensar que já sentei aqui (muito) mais de 500 vezes pra escrever bobagem. Putz!
Pensando bem, que esquisitice é escrever coisas para o éter esperando que sejam lidas.
Pensando melhor, não é isso que, afinal, todos fazemos todos os dias? Falamos coisas esperando que alguém entenda, rebata, etc.
E aí, entra outra doidêra: Para onde vão as palavras? Elas se esgotam no ouvido do pobre ouvinte ou se perpetuam universo afora? Se a segunda opção é verdadeira, em algum lugar desse universo a loucura deve ser geral.

Ô sabadão preguiçoso...

sexta-feira, 8 de outubro de 2010

MULTIPLICATION

Bobby Darin (Harlem, Nova Iorque, 14 de maio de 1936 - Los Angeles, 20 de dezembro de 1973). Ainda na infância, o médico após examiná-lo, constatou que ele sofria de problemas cardíacos e lhe estimou pouco tempo de vida, devido a tamanha gravidade da sua enfermidade.

E foi pouco mesmo. Mas, em 37 anos deu tempo pra ele fazer muito sucesso e casar com a Sandra Dee (a lourinha com quem ele dança no final da cena) logo após as gravações de “Quando Setembro Vier” – filme que qualquer pessoa com mais de 50 anos tem obrigação de lembrar.


quinta-feira, 7 de outubro de 2010

RECEITA

Pegue um monte de atores que você já cansou de ver, mas não sabe o nome de nenhum.
Coloque todos num prédio antigo que um ganancioso empresário do mal quer demolir.
Junte um casal de velhinhos, sendo ela engraçadinha e doida, que moram e são proprietários de uma lanchonete no prédio.
Acrescente um armário escuro na forma de ex-lutador de box, um artista incompreendido e uma grávida solteira fazendo caras e bocas.
Polvilhe com mini-alienígenas (!!) que são do bem e, claro, resolvem ajudar os moradores que não querem sair do prédio.
Misture tudo com situações imbecis, clichês melosos, gracinhas previsíveis e, contratado pelo ganancioso empresário mau para expulsar os heróis de suas casas, um bandido que fica bonzinho no final.
Assine como produtor: Steven Spielberg.

Pronto.

Você acabou de criar uma bosta de filme: “Batteries not Included”. (Como sempre, idiotamente traduzido para “O Milagre Vem do Céu”).

A prova definitiva que os gênios também têm seus dias de merda.

quarta-feira, 6 de outubro de 2010

MARKETING CONJUGAL – POR PHILIP KOTLER

Para Kotler, a principal função do marketing é conduzir a estratégia da empresa e fazer com que as promessas sejam cumpridas a seus clientes.
A visão holística, assim, é enfatizada em três pontos:

1 - As empresas precisam ampliar sua visão das necessidades e estilos de vida de seus clientes, deixar de vê-los como simples consumidores de seus produtos atuais e começar a vislumbrar uma maneira mais ampla de servi-los.

2 - Devem, sobretudo, avaliar o impacto de suas ações operacionais sobre o comportamento do cliente: efeitos negativos decorrentes de atrasos, faturas com erros, e, sobretudo, baixa qualidade de atendimento.

3 - É fundamental que a empresa tenha uma visão mais ampla do seu setor de atividade, de sua evolução e de todos os protagonistas envolvidos (destacando-se aqui uma perfeita visão de sua cadeia de fornecimento).

Obs.1: Se os(as) amáveis leitores(as) pensarem na palavra “empresa” como sendo Esposas, Companheiras, Amantes, Namoradas, etc, e substituírem a palavra “cliente” por Marido, Companheiro, Amante, Namorado, etc, poderão comprovar a competência do cidadão.
Obs.2: Vice-versa também funciona.
Mas, perde a graça. (observação machista, chovinista, nhén-nhén-nhén...)

terça-feira, 5 de outubro de 2010

E LÁ VOU EU, PELA IMENSIDÃO DO MAR...

Recebi essa do Fernando Fabbrini quando ele estava no Maranhão:

Aqui em São Luis, estou abismado com a lenta e gradual transferência física do território nacional para a China e outros destinos.
Explico: no caminho diário para a produtora, onde trabalho, vou pela Av. Litorânea, cujo nome dispensa explicações.

Invariavelmente, olhando para o horizonte pela janela do carro, conto de 15 a 20 navios graneleiros gigantescos saindo do porto em direção ao mar aberto. Todos os dias, dia e noite, sem parar, levando o minério de Carajás e Paraopebas.
Estes "15 a 20 navios" estão lá apenas durante o tempo do meu trajeto pela avenida, veja bem! Procurei saber do total e me informaram que são mais ou menos 100 navios a cada 24 horas!
Depois falam em equilíbrio ecológico...

Lembra a piada do português na prisão cujo vizinho de cela era leproso. A cada dia caía um dedo, um pedaço do pé, etc, e ele jogava pela janela. Zeloso, o luso chamou o guarda e confidenciou: “Olha, não é que eu seja dedo-duro, mas o vizinho está a fugir aos pouquinhos...”

segunda-feira, 4 de outubro de 2010

SAUDADE NENHUMA!



Claro que a grande movimentação internetiana - Não Reeleja Ninguém -, pra variar, não deu em nada.

Parênteses: mas como tem neguinho que acredita!

De qualquer maneira, já foi um avanço.
Pra mim, esses aí (e vários outros) deixam saudades zero.

Ou não?

sexta-feira, 1 de outubro de 2010

FRASES CINEMATOGRÁFICAS

O cinema é um infinito manancial de situações, fotografias, cenas e frases marcantes, inesquecíveis. Filme bom, a gente vai descobrindo detalhes e sutilezas a cada vez que assiste. (Tenho um grande amigo que já assistiu Blade Runner trinta e duas vezes e tem sempre história nova pra contar...)


Ontem assisti, pela enésima vez, Casablanca.
Não vou listar os inúmeros detalhes desse filme impressionante pelo ritmo, construção, atores, direção, trilha sonora etc.

Só duas frases que, no contexto ou não, são espetaculares.

Capitão Renault, depois que o Rick atira no Major Strasser:
- (para os guardas): Round up the usual suspects.

Rick, ao final da cena, sendo suavemente achacado pelo Capitão Louis Renault: - Louis, I think this is the beginning of a beautiful friendship…

quarta-feira, 29 de setembro de 2010

TÔ FELIZÃO!

MARIA ANTONIA TÁ NA ÁREA!

Segundo informações colhidas, literalmente na fonte, o parto foi natural, tranquilo, enfim, sequência da vida, uma vez que a mãe da Maria Antonia nasceu do mesmo jeitinho bom, feliz, sem complicações.

Explicando, minha filha ligou exatos 30 minutos após o parto (benditos celulares) me dando a notícia com a voz mais calma e gostosa do mundo.



Tô babando pra conhecer o joelhinho cabeludo mais lindo do planeta (toda criança nasce parecendo um joelho mas, para nós, parentes babões, é sempre um imbatível “bebê johnson”).
Por motivos profissionais e lógicos (dar um tempinho pros pais se acostumarem à tão grande mudança), o evento acontecerá no próximo fim de semana.
Explicando de novo: a neta está no triângulo mineiro (Deus proteja!) e eu estou na “capitár”.

E, com sortinha, Méri e eu vamos honrar a divina missão de estragar - no ótimo sentido - a educação da cidadãzinha durante, no mínimo, os próximos vinte anos. Pelo menos, espero...

Obs.: E, por mais que desagrade a todos (uma das minhas várias qualidades), até segunda ordem, pra mim é... Tu-ni-qui-nha!

terça-feira, 28 de setembro de 2010

EU JÁ SABIA!

Ig - 28/09 - 09:01
A Fazenda: Saiba quem são os participantes do reality rural

Entre diversas “celebridades” como Mulher-Melancia, Piu-Piu e Sérgio Mallandro (!?),
lá está a polêmica (sic) Geisy Arruda!


QUARTA-FEIRA, 11 DE NOVEMBRO DE 2009
UNIBAN: MUITO ESTRANHO
Sou bom em pedacinho de curso e, consequentemente, um constante freqüentador de faculdades - no século muito passado, é claro. Estudei um pouquinho de engenharia elétrica na Gama Filho, um pouquinho de civil em Barra do Piraí e na Santa Úrsula, outro pouquinho de administração na Estácio, mais um pouquinho de marketing na PUC e propaganda na ESPM (tremenda roubada, diga-se de passagem).

Mas isso não importa. Importa é que em todas as escolas (um pouco menos nas engenharias, é claro) o que tinha de mulher gostosa era uma grandeza. E, mesmo no século passado, sempre desfilavam as mais acessíveis (se é que vocês me entendem).
Então, uma multidão gritando puuta, puuta, para uma lôra que está de minissaia me parece uma parada gay enrustida. Ou não?
E, mais ainda, aí ela é expulsa e em seguida, "desexpulsa"!!!
Pelo jeitão, "all in" que acaba no BBB e/ou nas playboys da vida...


Só errei o canal.

TÔ VERDINHO!

Como já declarei aqui (em abril), vou de Marina.
Repetindo, sempre votei no cara, mas é ruim de votar na coroa.
Serra, nem pensar. Corro o risco de, em ele ganhando, ser proibido de fumar dentro da minha casa.

Ao que interessa: a Marina não vai ganhar.
Se forçar um segundo turno já terá sido uma vitória impressionante.
Mas, pra mim, o importante é mostrarmos (nós, quem, cara-pálida?) que continuamos ansiosos por uma esperança
- palavrinha tão calhordamente utilizada - de tempos menos podres.

Também já disse antes: não acredito que uma altamente improvável vitória da Marina vá mudar alguma coisa. A corrupção, as negociatas, as armações, tudo vai continuar. Nós sabemos muito bem quem manda nessa biboca.
E a cidadã entraria na história como mártir precursora de um tempo cujo, tenho certeza, nem nossos netos vão viver. Afinal, já são mais de 500 anos de bandalheiras. É muita tradição! (Mas poderia ser um começo.)

Finalizando, só quero lembrar um mote que correu intensamente na internet, mas (interessante, né?), sumiu nessa reta final: NÃO VOU REELEGER NINGUÉM!

segunda-feira, 27 de setembro de 2010

ÀS VEZES ACONTECE...

... de parecer que alguém está lendo a sua mente.

É o caso desse texto do Tutty Vasques, gênio da raça, que pode ser encontrado aqui: http://blogs.estadao.com.br/tutty/

SAUDADES DA FIRMA

TUTTY VASQUES

Ninguém, em sã consciência, sente saudades dos engarrafamentos ou daquele colega desagradável do antigo emprego depois que conquista a prerrogativa de trabalhar em casa.


Parece um sonho nunca mais se amolar com metrô, chuva de granizo, poluição, motorista de táxi, flanelinhas, malabaristas de sinal, trombadinhas, elevador cheio, chefe vigilante, motoqueiros, comida a quilo, barba bem feita, cocô de cachorro na calçada, cinto combinando com sapato…

As coisas melhoram de tal forma na vida de quem, morando numa grande cidade, não precisa mais enfrentá-la todo dia para viver, que o felizardo acaba ficando inteiramente deslocado em sua própria casa. Três anos longe dos aborrecimentos em que as pessoas se encontram deixam qualquer um meio por fora, sem assunto até para puxar conversa.

Nada acontece de repente! Primeiro, o cara para de compartilhar as neuras e o stress naturais de sua geração. Depois, praticamente elimina o acaso e qualquer possibilidade de uma boa conversa jogada fora pra quebrar a rotina. Quando, enfim, se dá conta de que não tomou banho ontem, aí já era!
O próximo passo será sentir saudades da firma.

sábado, 25 de setembro de 2010

PIRCIGUISSÃO...

Promotor quer fazer teste com Tiririca
ÉPOCA publica neste sábado (25) reportagem que revela indícios de que o candidato a deputado federal Tiririca (PR) não sabe ler nem escrever. A revista traz declarações do humorista Ciro Botelho, que escreveu um livro assinado por Tiririca, e descreve situações em que o candidato demonstrou, "no mínimo, enorme dificuldade de leitura”.
O promotor da 1ª Zona Eleitoral de São Paulo, Maurício Antonio Ribeiro Lopes, anexou a reportagem a duas representações que está levando à Procuradoria Regional Eleitoral e à Corregedoria do Tribunal Regional Eleitoral de São Paulo.


O cidadão está prestes a ser o deputado federal mais votado de 2010.
O que isso significa? Pra mim, nada mais do que o retrato do país.
Além do mais, se o noço guia tem uma popularidade que nunca se viu na história... É pirciguissão mesmo!

quinta-feira, 23 de setembro de 2010

A VEÍNHA É DURA NA QUEDA

“Isabel Segunda, pela Graça de Deus, do Reino Unido da Grã-Bretanha e Irlanda do Norte e de Seus Outros Reinos e Territórios Rainha, Chefe da Comunidade Britânica das Nações, Defensora da Fé.”

Com uma lista interminável de títulos e feitos, só o fato de ter aguentado todos esses pentelhos já daria a ela um recorde memorável.
Mas, tem mais: no trono desde 1953, Elizabeth II caminha para o mais longo reinado da história inglesa. Recorde que será batido em 9 de setembro de 2015 quando ela superará sua trisavó Vitória I.
Alguém duvida? Eu, não.



(Curiosidade: se ela foi batizada como Elizabeth Alexandra Mary de Windsor, por que o pomposo título real começa com “Isabel Segunda...”? )

terça-feira, 21 de setembro de 2010

VAI DAR MERDA – LITERALMENTE.


Um jovem curitibano criou um serviço em que você paga para enviar um "presentinho" de grego para alguém: o cocô delivery.

São vários tipos de material orgânico. Você pode escolher entre cocô de elefante, de cavalo, de carneiro, de vaca... O especial do mês de setembro é o de lhama.



A galera aguarda, ansiosa, a abertura de uma filial em Brasília.

segunda-feira, 20 de setembro de 2010

CAMPANHA PRÓ-RIO

Aproveitando o clima eleitoral, vamos à campanha “O Rio não é bem assim... É muito melhor!”.
Explicando: acho uma grande sacanagem, da mídia em geral, a constante ampliação das mazelas do Rio de Janeiro. Afinal, São Paulo, Recife, Salvador, BH e tantas outras capitais também sofrem com a violência, insegurança, etc. Só que, para azar delas - ou sorte, depende do ponto de vista, não chegam nem de longe a competir com a, provavelmente, cidade mais linda do mundo.
Então, inaugurando a campanha, segue nota do Ancelmo Gois na coluna de sábado passado.
obs.: colaborações são bem vindas (otimista incorrigível que sou).

Ancelmo Gois
Cena Carioca
Ontem, às 11h, uma senhorinha de 90 anos, toda arrumadinha, foi subir no ônibus da linha 136 (Rodoviária-Ipanema) e, acredite, o motorista foi até ela, perguntar onde desceria.
Ao saber que seria na Saara, ele avisou que pararia o ônibus para ajudá-la a descer. Os passageiros aplaudiram a atitude.

domingo, 19 de setembro de 2010

DIVAGAÇÕES SOBRE PULAR A TAL DA CERCA

Citado por Ruth de Aquino, em “Les hommes, l'amour, la fidélité” - livro de Maryse Vaillant - ainda não editado no Brasil, a autora enfileira inúmeros perfis de homens infiéis seja por imaturidade, cultura, libido exacerbada, etc, etc.

Então, lá vou eu...

Acho tudo isso uma grande babaquice adolescente. Felizmente alguns de nós, homens de classe média, criados para comer até papel de bala rasgado, conseguimos, em tempo hábil, perceber a grande verdade crua: não vale a pena enfiar nossos paus em qualquer buraco. Embora, para a maioria, essa constatação costume acontecer um pouco mais tarde do que deveria, ainda podemos aproveitar por bastante tempo essa gostosa realidade: é muito mais prazeroso aprimorar a deliciosa relação com nossa companheira do que ficar dando tiros em qualquer perdiz que levante vôo nos pântanos da noite.

Claro que se o amável leitor estiver na plenitude de seus vinte e poucos anos (mentais) já estará abandonando a leitura de frases tão idiotas. Mas, não arredo pé. Do alto das muitas merdas que já fiz nessa minha vidinha besta, tenho, graças a Deus, poucas certezas e essa é uma delas.

“O livro é provocador ao admitir a infidelidade breve e discreta como experiência salutar e até necessária ao sucesso de alguns casamentos. ‘Neste caso, a infidelidade não é uma prova de amor ou desamor, mas uma prova de liberdade.’ E para a mulher? ‘Para algumas mulheres, que conseguem separar sexo de sentimento, o mesmo ocorre. Mas a maioria delas tem outras prioridades, como o casal e a família’.”

De novo, minha opinião, uma afirmação de imensa babaquice. Pra começar, liberdade, como dizia o saudoso Bussunda, é passar a mão na bunda do guarda. Se o cidadão casa pensando em privação de liberdade sexual ele é uma anta secular daquele tipo “essas coisas eu não faço com a patroa”. E a patroa lá, doidinha querendo que ele faça!
Separar sexo de sentimento é outra coisa, a meu ver, profundamente imbecil. Sendo esse o caso, pra quem tem um mínimo de imaginação, punheta dá de dez a zero em qualquer outra opção.

Resumindo a ópera: e as mulheres? No final das contas, me parece lógico, o cidadão pra pular a tal da cerca, precisa de uma coadjuvante, né não? E aí? Elas só pulam por amor, enganadas pelos crápulas libidinosos ou são, todas, vagabas?
É muito cinismo pro meu gosto...

sábado, 18 de setembro de 2010

EXPERIÊNCIA VALE MUITO

Dois tubarões observam os sobreviventes de um navio afundado.
- Siga-me filho, diz o tubarão pai para o filho.
- Primeiro vamos nadar em volta deles com apenas a ponta das nossas barbatanas aparecendo fora da água.
E assim eles fizeram.
- Muito bem, meu filho! Agora vamos nadar ao redor deles, algumas vezes, com nossas barbatanas todas de fora.
E assim eles fizeram.
- Agora nós podemos comer todos eles.
E assim eles fizeram.
Quando ambos estavam empanturrados, o filho pergunta:
- Pai, por que nós não os comemos logo de início? Por que ficamos nadando ao redor deles várias vezes?
O sábio e experiente pai respondeu:
- Porque o gosto deles fica melhor sem merda dentro.

quinta-feira, 16 de setembro de 2010

ECOCHATOS, ALEGREM-SE!

Um estudo da Organização Mundial de Meteorologia (OMM) revela nesta quinta-feira (16) que a camada de ozônio terrestre, que protege o planeta contra o excesso de radiação ultravioleta, ficou estável na última década, com o buraco em sua superfície mantendo o mesmo diâmetro, sem diminuir, nem aumentar.

Hoje é o Dia Internacional da Preservação da Camada de Ozônio. Ontem foi dia do Musicoterapeuta e amanhã é Dia da Compreensão Mundial. Todas, datas fundamentais para a humanidade. Assim sendo, proponho a oficialização (porque já é corriqueiro) do Dia Internacional do Peido quando todos peidarão livremente a qualquer hora e em qualquer local sem preconceitos ou falsos pudores.

(Obs.: quem sabe a história da capa desse disco do Tomzé, sabe. Quem não sabe, googla. Porque eu não vou explicar...)

quarta-feira, 15 de setembro de 2010

VIVENDO PERIGOSAMENTE

Promotor é suspenso após suposto assédio
O promotor Eliseu José Berardo Gonçalves, de Ribeirão Preto, a 313 km de São Paulo, foi punido com suspensão de 22 dias pela Corregedoria do Ministério Público Estadual depois de uma denúncia de assédio feita por Suzane von Richthofen. Condenada, a jovem cumpre pena por matar os pais em 2002.
Apesar do mau momento, Gonçalves contou estar “com a consciência tranquila” e ter a certeza de que “agiu de boa fé.” “As pessoas que fazem coisas para te prejudicar vão encontrar a justiça divina. Não que eu deseje isso, mas vai acontecer”, profetizou.

Como diria Cleycianne (http://www.cleycianne.com/), minha musa evangélica, o Ungido Varão Promotor está chocado em Cristo!

terça-feira, 14 de setembro de 2010

CORRESPONDÊNCIA

Amigo Haja,

Estamos, eu e Roxane, em Piracema do Norte. Não me pergunte por que.
Navegando na internet tropecei nessa coisa que você chama de blog e descobri que você é você. Muita sorte!
Então, em nome de nossa amizade de quase meio século, vou estar te encaminhando meu sobrinho Vílson CasaRosada. (É isso mesmo! Minha irmã - mãe dele - foi alegremente esquecida em Buenos Aires quando tivemos, papai, mamãe e eu, que ir pra Budapeste com uma certa pressa, lembra? Loucuras da década de 70... Esperta como sempre foi, ela se arranjou por lá. A história é um pouco longa e te conto depois.)
O fato é que Vilsinho precisa passar algum tempo em refúgio espiritual e pensei que nada melhor do que a aprazível capital mineira. E ainda melhor, em sua companhia!
Não se assuste: é temporário. Só até estarmos aplacando a ira de “Feijoada Completa” - nosso assessor para assuntos marginais.
Como você rapidamente vai estar reparando (ultimamente venho falando em idioma telemarketing por razões que depois explico) ele mal e mal sabe ler, escrever e é meio boiola. Quer dizer, pode perfeitamente ser usado para colunismo social, crítico de cinema, assessor de assuntos impublicáveis, o que você achar melhor. Ou pior.
De todo modo, você poderá aproveitar os talentos de Vilsinho para descansar dessa labuta inglória travada nesse espaço esquisito. Usando a franqueza que nossa longa amizade permite, você escreve tanta bobagem que, tenho certeza, os seus milhares de leitores (risos) nem vão notar a diferença.

Um abraço fraterno do sempre amigo,
Juca Jebão.

ps.1: Onliú, Trulóvi e Blumún, os cachorrinhos, quase não dão trabalho. Vilsinho cuida deles como se mãe fosse...
ps.2: As possíveis despesas, acerto com você assim que Roxane e eu conseguirmos voltar pra Miami, ok?

segunda-feira, 13 de setembro de 2010

GA-GAGOS GA-GANHAM DESCON-CON-TO

A Associação Brasileira de Gagueira comemora o projeto que prevê desconto para os gagos nas contas de celulares.
A Tim, numa grande sacada, se antecipou e lançou o plano Tim Tim por Tim Tim com descontos de até 50% nas tarifas e, nas ligações de gago para gago, será cobrado somente o primeiro minuto. Resta saber como eles vão controlar isso...
Diz que o Bruce Willis vai fazer a campanha publicitária. Podiam usar também a Marilyn Monroe, Machado de Assis e muitos outros gagos famosos.

(Para de rir aí, ô insensível!)

domingo, 12 de setembro de 2010

MELA CUECA

O Procol Harum, liderado por Gary Brooker, foi assim batizado pelo empresário do grupo que se inspirou (!?) no nome do gato de um amigo. Traduzido do latim, significa algo próximo de "através das coisas".
E, através dessa musiquinha, eles embalaram muitas e muitas festinhas dos anos 60.
A primeira frase da música, "We skipped the light Fandango" foi um mistério durante muito tempo entre nós, pobres monoglotas. Mais tarde descobrimos que siginificava alguma coisa como "dançamos o suave fandango", olhaí que bobagem. O resto da letra é um aglomerado de incoerências e doideiras típicas da época.
Mais cultura inútil: o asteróide 14024 (boa milhar pra jogar no bicho) foi batizado com o nome da banda que acabou em 1977. O asteróide, dizem que ainda flutua pelo cosmos.