domingo, 4 de setembro de 2016

DAS DORES


O HUP - Haja Utilidade Pública, em sua incansável missão de bem informar, traz para vocês um breve resumo do Guia Prático de Combate às Dores em Geral.

Dor de Cabeça Amena - ignora, finge que não é com você. Ela se sente desprestigiada e se manda.

Dor de Cabeça Irritante - 4 ou 5 neosaldinas.

Dor de Cabeça Recorrente - livre-se, ci-vi-li-za-da-men-te, da causa. Cuja, é claro que você sabe muito bem qual é.
Não se faça de bobo.

Dor de Dente - dentista. Não conheço outro remédio. Se alguém souber, pê-la-môr-dê-deus, me conta.

Dor no Joelho - se você estiver caminhando e o joelho começar a reclamar, mude, sutilmente, o ângulo da pisada. É tiro e queda. A dor sai do joelho e vai para a batata da perna (ou panturrilha como gostam os "istas").

Dor na Panturrilha (Batata da Perna) - se causada pelo procedimento acima citado, é só repetir a estratégia. A dor volta para o joelho mas, com sorte, você já está regressando à base onde um bendito diclofenaco te aguarda.
Se não, um mergulho no mar acompanhado de um suave alongamento embalado pelas ondas de água morna (que você só encontra da Bahia para cima) costuma resolver.

Dor de Cotovelo Amena - caia na noite, descole uma desavisada, encha a cara, deite, role e acorde de ressaca. Resultado garantido uma vez que você estará cheio de afazeres para desfazer as bobagens da noite anterior e não vai nem lembrar mais da causadora da insanidade.

Dor de Cotovelo Forte - concentre-se num defeito da criatura.
De preferência um bem bobo como, por exemplo, uma pinta estacionada em local não muito adequado, um dedão do pé desproporcional, coisas no gênero.
Decidida esta parte, crie um mantra no estilo "... Mas aquele dedão, hein? Deus me livre!".
Isto deverá ser repetido sem descanso enquanto você estiver acordado. E, ao dormir, com uma sortinha você vai sonhar com o dedão apavorante.
A cura virá rapidamente.

Então, saudável leitor, aproveite nossa promoção!
Se alguma outra dor estiver te atormentando, não se acanhe!
Ligue Djá! Satisfação garantida ou sua paciência de volta.

7 comentários:

  1. kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk.... Genial!!!

    ResponderExcluir
  2. Muito bom o guia prático de combate às dores em geral, embora tenha faltado a dica de como proceder no caso de uma dor de barriga súbita e monumental, bem aquosa, quando você está expondo uma experiência de trabalho num auditório à frente de oitenta colegas.
    Vitor Lemos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Essa é complicada!
      Acho que nesse caso só resta a tática do Leão da Montanha: "Saída pela direita..."

      Excluir
  3. Foi um vexame só! Tive que revelar o motivo da saída súbita dentro de um grupo de pessoas com pouco convívio e repleto de mulheres. Pior que isto só um peido público distraído!
    Vitor Lemos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Peido público distraído - se for barulhento - é uma tragédia também.
      Se não, sempre se pode fazer cara de paisagem...

      Excluir
  4. Respostas
    1. Isso aí é melhor cê perguntá lá no pôspiranga...

      Excluir